Jerusalém

 A  «profunda preocupação» do Papa Francisco com a discussão sobre o estatuto de Jerusalém, as desavenças imperialistas e o golpe no Brasil

Com razão o Papa Francisco se preocupa com o que acontecerá com a Palestina e com o mundo a partir da tresloucada iniciativa  de Donald Trump em invadir Jerusalém para fazê-la,  na marra,  capital de Israel e cabeça de ponte do imperialismo das guerras, da matança, dos assaltos às riquezas da nações e dos povos,  que fazem dos Estados Unidos uma potência decadente e do mal.

Donald Trumb, o que se elegeu presidente dos Estados Unidos em eleições corrompidas e negociadas com a indústria pesada de armamento, com as corporações do petróleo e com a máfia financeira internacional tem como missão provocar os povos e levar o mundo a uma hecatombe nuclear.

Como tem medo da República Popular Democrática da Coréia e sua aliança resistente com a China e com a Rússia, virou os canhões para a Palestina na tomada de Jerusalém.

A farsa das eleições e da democracia estadunidense é a mesma que presidem a lógica do golpe quadrilheiro no Brasil.

Os golpistas, aliados do grande capital mundial não ouvem, não respeitam e não são tolerantes com ninguém. Na ânsia de pagar os financistas de sua campanha à presidente Tumpa lhes entrega Jerusalém do mesmo modo como Herodes entregou a cabeça de João Batista à prostituta do palácio.

E assim segue o baile com a mesma toada dançada pela quadrilha no Brasil e seu conluio judiciário-parlamento-mídia a pagar os patrocinadores do golpe que mata e acaba com o Brasil. No Oriente Médio Trump presenteia os poderosos mafiosos com Jerusalém, mesmo que o banho de sangue seja inevitável, no Brasil o ladrão, o bandido, o chefe de gangues, o velhaco e delinquente MiShel Temer doa a Previdência aos bancos e parasitas da saúde, mesmo que isso custe o sangue e a vida dos trabalhadores.

“O meu pensamento vai agora para Jerusalém: a esse respeito, não posso calar a minha profunda preocupação com a situação que se criou nos últimos dias”, disse Francisco, no final da audiência pública semanal que decorreu no Vaticano.

“Jerusalém é uma cidade única, sagrada para os judeus, os cristãos e os muçulmanos, que nela veneram os Lugares Santos das respetivas religiões, e tem uma vocação especial para a paz”, acrescentou.

Francisco rezou para que esta identidade “seja preservada e reforçada” em benefício da Terra Santa, do Médio Oriente e de todo o mundo.

“Que prevaleçam a sabedoria e a prudência, para evitar que se somem novos elementos de tensão num panorama mundial já convulso e marcado por tantos e cruéis conflitos”, concluiu.

Segundo agências internacionais, Donald Trump vai anunciar hoje, num discurso marcado para as 13h00 (18h00 em Lisboa), a decisão de considerar Jerusalém como a capital de Israel e de transferir para a cidade a embaixada norte-americana, atualmente localizada em Telavive.

O Papa recebeu esta manhã os participantes na reunião do Comité Permanente para o Diálogo com personalidades religiosas da Palestina, com quem sublinhou a importância do diálogo inter-religioso e de reconhecer os direitos de todos os habitantes da região.

“Invoco sobre todos vós bênçãos abundantes e desejo paz e prosperidade para o povo palestino, para a Terra Santa e para todo o Médio Oriente, tão caro a mim e a toda a Igreja Católica”, disse.

Com informações de Agência Ecclesia Internacional.

Colabore com o Cartas Proféticas e aumente sua renda ajudando organizar seminários em sua cidade. Veja como.

Compartilhar:



Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.
Os comentários expressam a opinião de seus autores e por ela são responsáveis e não a do Cartas Proféticas.