demônio_urubú

Ao ofender Paulo Freire o miliciano do Conjunto Vivendas Barra Pesada despeja mais podridão sobre o Brasil

Por Dom Orvandil.

O desprezível miliciano,  que a burguesia mais apodrecida, a serviço do mercado e do neoliberalismo,  colocou no governo, ofendeu de modo brutal um dos maiores intelectuais brasileiros e o maior educador do mundo moderno,  Paulo Freire.

De alma como depósito de ratos, morcegos e dos piores demônios, o miliciano Jair Bolsonaro, ao chamar Paulo Freire de energúmeno ofendeu profundamente não somente  a memória, a história e a honra do grande homem, mas toda a educação brasileira.

Certamente o estúpido, ignorante e intelectualmente miserável sequer conhece o significado de energúmeno, mas viveu o mecanismo de defesa definido por Sigmund Freud chamado de projeção.

Como um desgraçado e raquítico moral, o morador do Vivendas da Barra Pesada, local de milicianos, assassinos e de ladrões, jogou na cara do povo brasileiro o que o vocábulo representa:

possuído pelo demônio; possesso; pessoa exaltada, desequilibrada por paixão, obsessão etc.; desatinado.

Por inveja do grande e brilhante educador, movido à miséria moral de marginal branco e vagabundo, o miliciano projetou o que ele de fato o é, transferindo para o patrono de educação os maus predicados que o definem.

Bolsonaro e a tropa de demônios é que são os energúmenos que dividem o Brasil, girando-o entorno do ódio e da morte, e não Paulo Freire nem seu legado.

Enquanto o patrono da educação empenhou a vida na construção do conceito e do método de educação libertadora, que o projetou no mundo em pesquisa, estudos e práticas educacionais dos povos, o miliciano endomoniado passa a vida servindo de capacho e fantoche de bandidos e criminosos da pior espécie. A vida militar e parlamentar do vagabundo nada mais é do que a tragédia de um demônio miserável, cheio de ódio, de inveja, de mediocridade, de ciúme,  de mãos ensanguentadas de torturas e assassinatos dos patriotas.

Tem razão a educadora e viúva de Paulo Freire,  Ana Maria Araújo Freire que,  aos 86 anos, deu uma resposta à altura a Jair Bolsonaro.  “A palavra não se adequa a Paulo. Paulo não é isso. Paulo não é nenhum demônio que veio à Terra. Pelo contrário, Paulo veio à Terra para pacificar o mundo”, disse Ana Maria, em entrevista à coluna de Guilherme Amado, na Época.

“No fundo, ele (Bolsonaro) pensa que Paulo é um grande homem, como é. Ele destrata dizendo que Paulo é um ser diabólico. Paulo foi um ser da paz. No fundo, ele tem um pouco de inveja também, queria ser como Paulo foi, mas não pode, não consegue. Tem de estar o tempo todo de pontaria armada para atingir alguém”, disse a educadora.

Ela afirmou, ainda, que o tipo de ofensa assacada por Bolsonaro não é “postura de um presidente” e que ele é um homem “nefasto”. “Bolsonaro é um homem sem nenhum pudor, sem nenhum caráter, sem nenhuma autocensura. Tudo o que ele tem na cabeça é contra as outras pessoas, ele só tira das ofensas os três filhos, nem os outros dois ele tira. É um homem nefasto, uma coisa absolutamente terrível”.

É isso, o miliciano Bolsonaro é um demônio nefasto que, segundo o dicionário,  significa de mau agouro; funesto:  “a imagem  de urubus sobrevoando a carniça”.

O milcianismo sustentado pelo mercado e pelo imperialismo produz urubus como Bolsonaro, criando maus agouros  a sobrevoar  as carnes dos trabalhadores sem direitos, sobre os indígenas e de quilombolas assassinados e de terras roubadas e a assaltar o Brasil.

Recber e aceitar os horrores que o vaganbundo ocupante do Palácio do Planalto diz e faz é aceitar sermos funestos e urubuzados como ele.

A vida nos pede que somemos mais essa agressão a Paulo Freire na conta da grande revolta que faremos e que nos levantará para mudarmos definitivamente o Brasil, como nos ensinam Cuba, Venezuela, Chile, Bolívia, Argentina, Equador e tantos outros povos, cujos patriotas não se conformam a serem lixões para vômitos de urubus podres, como é o que diz e faz Bolsonaro.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

2 Comentários

  1. A ofensa do miliciano Bolsonaro à Paulo Freire é vômito do demônio e ronco de urubu sobre a paciência do povo brasileiro. É preciso colocar isso na conta de nossa revolta e luta. Acesse e compartilhe o link do Cartas Proféticas:http://cartasprofeticas.org/ao-ofender-paulo-freire-o-miliciano-do-conjunto-vivendas-barra-pesada-despeja-mais-podridao-sobre-o-

  2. O Facebook censurou autoritariamente essa publicação, peço a sua gentileza, a compartilhar com seus contatos e redes sociais essa postagem. Acesse e compartilhe o link do Cartas Proféticas:http://cartasprofeticas.org/ao-ofender-paulo-freire-o-miliciano-do-conjunto-vivendas-barra-pesada-despeja-mais-podridao-sobre-o-brasil/

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.