av_fecunda-card

Arte e Vida com a musicista Anita Lino: “Fecunda-ação na luta”

O Programa Arte e Vida busca compreender a profundidade da alma humana na materialização do que percebe do mundo onde vivemos e do mundo que fazemos.

Vivemos gigantesca contradição entre o espírito popular, notadamente da classe trabalhadora, imerso em imensa pobreza e alienação espiritual, quando tudo lhe é roubado e feito capital e o próprio capitalismo na sua ânsia desvairada de fazer da arte, no máximo, expressões de romantismo e indústria da troca por dinheiro.

Porém, a arte é também denúncia da exploração burguesa sobre os corpos d@s trabalhadores/as. Como diz  Afonso Machado: “O verdadeiro artista realiza o contrário da mais valia: a terrível mágica em que o dispêndio de energia do operário converte-se em dinheiro, máquinas, terreno e riquezas em geral , é denunciada pela magia da arte; quer dizer, a arte nos permite enxergar a vida roubada no trabalho alienado, a ganância do burguês, os desejos recalcados, o sonho trancafiado, a miséria e a exploração integradas na cidade e no campo. Enfim, o artista que leu Marx enriqueceu sua visão de mundo porque tomou consciência de sua missão nos nossos dias: fazer com que a classe trabalhadora sinta a necessidade de uma outra vida, num mundo concreto, historicamente possível” Leia a integra deste artigo em Esquerda Diário: https://www.esquerdadiario.com.br/O-que-Marx-tem-a-dizer-para-os-artistas

Na Edição do Programa Arte e Vida desta sexta feira, dia 07 de maio de 2021, às 19 horas conversaremos com a musicista,  linguista e antropóloga Anita Lino sobre a arte da denúncia das injustiças e opressões sofridas pelos povos originários, pelos movimentos sociais e pela classe trabalhadora.

Anita Lino é compositora, musicista multi-instrumentista, com formação musical dos mestres músicos de rua; é formada em Linguística pela Unicamp e tem Mestrado em Antropologia Social pelo PPGAS do Museu Nacional do Rio de Janeiro (UFRJ). Está finalizando seu Doutorado em Antropologia Social também pelo PPGAS do Museu Nacional (UFRJ) com pesquisa sobre usos rituais e oraculares do milho crioulo, partindo da Serra Mazateca de Oaxaca (México), até os caminhos do Peabiru (terras baixas da América do Sul). Iniciou sua trajetória profissional como Música no Festival da Reforma Agrária “Da luta brotam vozes de liberdade” ocorrido em Belo Horizonte (em 2016), com o tema “Fecunda-ação”. Compõe trilhas instrumentais para Audiobooks, curta-metragens, e documentários. É idealizadora do Grupo Terra Livre, banda formada junto a músicos do Conservatório de Tatuí, que vem lançando seus trabalhos nas redes sociais atualmente.

Apoie este projeto com sua doação com o seu melhor valor. Pelo  Pix domorvandil@gmail.com.

Leia e veja mais abaixo. Compartilhe:

Dê likes, inscreva-se, ative o sininho,

Terra Livre no YouTube:

Está no ar!

Videoclipe-documentário do single “Pequeno Sol”

Produção totalmente independente, realizada pelo Grupo Terra Livre juntamente com o Coletivo de Cineastas Indígenas e de Xondaria e Xondaro kuery.

Acesse: https://youtu.be/8oyhQcefPtA

• YouTube: Grupo Terra Livre Oficial

• Instagram: @grupoterralivre

…………………….

CRÉDITOS

Direção audiovisual: Caio Tupã (@olharesdeterra) e Natália Lopes (@ancestralidadevisual)

Roteiro: Caio Tupã, Natália Lopes e Neide Lopes

Produção executiva e organização: Anita Lino

Edição: Caio Tupã e Natália Lopes

Correção de cor: Caio Tupã

Mixagem: Caio Tupã, Natália Lopes e Gonçalves do Vale

Realização: Grupo Terra Livre, Coletivo de Cineastas Indígenas, Coletivo de Xondaria e Xondaro Kuery

Imagens: Richard Wera Mirim, Ara Rebeca, Caio Tupã (Olhares da Terra), Natália Lopes (Ancestralidade Visual), Thiago Carvalho, Thiago Martim, Sônia Barbosa, David Karaí Popygua.

Duração: 10’23”

Ano: 2021

Região: Brasil

Línguas: Guarani e Português Brasileiro

Legendas: Guarani e Português Brasileiro

Cor: Colorido.

Som: Estéreo.

Formato de tela: 16:9

Tradução da letra: Anita Lino (com base em Campos, Godoy e Santos – “Imaginário e representações míticas: As belas palavras, ayvu porã, dos cantos divinos, mborai, Guarani Mbya.” Espaço Ameríndio, jul./dez. 2017: 167-185)

Adaptação e composição musical: Anita Lino

Arranjo: Grupo Terra Livre

Produção executiva: Bruno Hino

Realização: Grupo Terra Livre

Gravação em Estúdio: Bruno Hino, Gonçalves do Vale, Gabriel Strozi, Gustavo Rezende Costa

Produção musical: Gabriel Strozi

Mixagem: Gonçalves do Vale

Masterização: Gabriel Strozi

al e possível,

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.