Brasília-23_05-7

As lágrimas de um médico humano

Recebi de minha amiga Renata Beiro este relato do médico Daniel Sabino, de Brasília. Trata-se de um diagnóstico político e moral sobre a situação do aposentado Clementino, que mora aqui Goianésia, Goiás.
Clementino levou um tiro da polícia no dia 24 de abril na manifestação “Fora, Temer”.
Leia abaixo o comovente relato do médico Daniel Sabino, que não se esqueceu do principal documento de um herói brasileiro, sua dignidade afrontada e humilhada a bala pelo Estado assaltado pelos golpistas, mas também da tragédia humana que vivemos hoje no Brasil.
Acesse aqui para colaborar com este blog.

Clementino finalmente foi dado de alta hoje, sábado. Depois de 10 dias internado, ontem a noite foi submetido a um procedimento cirúrgico. Partiu, com um olho a menos, acompanhado de sua humilde esposa, sacola de plástico na mão, chinelo de dedo, a pé, em direção ao metrô.
Fará uma escala na Ceilândia, na casa de um familiar, até conseguir pegar o ônibus para Goianésia, a mais de 200 km de Brasília.

Ontem levei-lhe duas camisas, porque já não tinha roupas limpas.

O Estado?
A Defensoria Pública?
A OAB?
A Secretaria de Direitos Humanos?
Os moralistas?
Nunca apareceram! Alguém da polícia para ao menos pedir-lhe desculpas?
Quem vai devolver-lhe esse olho?
Quem vai arcar com os prejuízos materiais, físicos, psicológicos e morais desse cidadão, cujo único crime foi vir a Brasília manifestar-se por seus direitos?
Chorei ao sair do hospital: pela hipocrisia, a ignorância e a desumanidade do cidadão médio brasileiro.
Não se trata de ideologias, de partidos políticos, mas de respeitar a condição humana, a dignidade. Sinto aquela impotência que rasga a carne. A esperança se esvai.
Só me resta uma certeza: são esses heróis anônimos que fazem a História, enquanto vocês ficam sentados no sofá assistindo televisão chamando-os de baderneiros.
Compartilhar:



2 Comentários

  1. O que nós, militantes, movimentos socias e populares, sindicatos, centrais
    fizemos por esse goiano? Nada!!'

  2. Boa Tarde,Dom Orvandil!
    Acolho com muita indignação este relato.
    Acolho com solidariedade a dor de Clenentino,cidadão brasileiro ,mais uma vítima do país assaltado por perigosos mafiosos, cuja finalidade explícita a cada proposta imoral que chega à casa do povo,é homologar o genocídio da população oprimida.
    Assim como sinto a dor da impotência deste médico que chora um choro vindo da alma.
    Como trabalhadora do SUS sei bem a imensidão desta dor.

    Só me resta dizer que serei mais uma pessoa a chorar e a lutar contra os desmandos dos golpistas.

    Parabéns pela coragem ,nobre profeta!

    Abraços críticos e fraternos

Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.
Os comentários expressam a opinião de seus autores e por ela são responsáveis e não a do Cartas Proféticas.