instituições_falência

As tais instituições da república faliram e se ajoelham diante do trono fascista

Por Dom Orvandil.

O louco, irresponsável, estúpido, mal acabado, mentiroso, fingido, seja o qualificativo que se use para desenhar conceitualmente o miliciano Jair Bolsonaro são insuficientes para dizer da estupefação do Brasil com a barbárie que  se move como monstro por dentro do Palácio do Planalto.

Como contar para alguém após acordar de um  coma ou isolamento em UTI, sem celular e sem televisor, que o delinquente ocupante da presidência da República chegou ao ponto de afirmar que “eu não sou coveiro”ao se refir às mortes pela pandemia, sem mexer um músculo daquela cara fascista de pau, do maior mentiroso e mau caráter que já chegou ao governo?

Inacreditável também que o ocupante do cargo de presidente vá a manifestações fascistas de bovinos ignorantes que clamam por golpe militar e pelo retorno do câncer violento,  o AI 5.

Antes disso, o miliciano tudo fez para humilhar governadores e prefeitos, que se envolvem efetivamente com as pessoas concretas, atingidas pelo coronavirus. O meliante passeou e passeia por entre multidões depois de esfregar as mãos sujas de sangue nas próprias ventas e depois alcançá-las às pessoas, com milhões de vírus.

Os gestos desvairados do facínora são posteriores a toda rota golpista e o descalabro político ao empurrar o Brasil, desossado e descarnado de suas estatais, morro abaixo do caos e do abismo econômico.

Em face da barbárie que se afigura cada vez mais aterrorizante, com centenas de brasileiros mortos, desempregados, pobres e miseráveis, se apresentam os defensores do papel das instituições, como o  judiciário e o congresso nacional.

No cenário de falência, partidos de esquerda erguem-se no nada pressionando o parlamento na incriminação do canalha na presidência. Da mesma forma a santinha e inocente OAB, boa de nota pública e suave,  denunciando a barbárie pela mídia.

Com a mesma toada o STF fala, fala e diz através da frase espírita de que “fora da democracia não há salvação”.

O “seo” Augusto Aras do PGR, dono de uma carranca de assustar baratas, ameaçou de investigar a boiada, aquela para quem o miliciano falou chamando-a de povo brasileiro.

A CNBB, como outras entidades confessionais,  também rezam notas reclamando a prerrogativa profética da denúncia dos riscos de destruição de direitos, principalmente dos pobres.

E pronto. Depois de manifestações, notas, entrevistas e promessas de investigação todos se dirigem às suas mesas lautas de comidas caras, vinhos importados, com trabalhadoras domésticas no comando das cozinhas, se   sentam perguntando aos acompanhantes sobre o que acharam de suas notas,entrevistas e falas furiosas transmitidas por lives e conferências online. Na sesta e à noite deitam-se relaxados para o sono dos justos, depois que enfrentaram o fascismo e construíram uma nova sociedade, com todos muito felizes com sua própria verborragia. “Tudo justo e perfeito”, como os maçons golpistas dizem uns aos outros ao se saudarem, mesmo sem nada saberem de justiça e de perfeição.

Tudo falido. Tudo inapetente. Tudo carcomido. Tudo inútil e sem serventia!

Nem o Brasil nem a democracia se reconstruirão passando pelas instituições mencionadas e por outras acovardas e coniventes com a podridão orgânica do capital.

Esta parada depende do povo brasileiro. Do povo brasileiro mesmo e não da boiado fascista desembestada.

A única salvação do Brasil se dará a partir da classe trabalhadora mobilizada, organizada e articulada com todos os setores oprimidos da sociedade.

O povo organizado se libertará e libertará o Brasil das garras desses parasitas que, além de belas palavras, nada fazem para enfrentar a causa da maior  doença que mata este amado pais,que não é o coronavirus, mas a crise orgânica do capital, enterrando o neoliberalismo, essa bandeira dos golpistas, do mercado e dos demagogos.

A libertação não passa pelas instituições que se negam a defender o povo!

Quem tem ouvidos, ouça!

Quem viver,  lutará e verá!

Acesse também e compartilhe:

– Quem é o gado e de onde saíram os dançarinos da morte em apoio ao miliciano Bolsonaro?

– Pastor evangélico sério e cristão denuncia a participação genocida de falsas igrejas criminosas em apoio ao miliciano Bolsonaro.

– A morte em massa é cria do mercado adotada por Bolsonaro e tonificada com as receitas necrófilas de Nelson Teich.

– Dicas para convivências no deserto do isolamento social (1);

– Dicas para convivências no deserto do isolamento social (2): “O diálogo”.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um comentário

  1. "As tais instituições da república faliram e se ajoelham diante do trono fascista". Ajude-nos a alavancar fortemente o Cartas Proféticas compartilhando somente a chamada e o link desta postagem: http://cartasprofeticas.org/as-tais-instituicoes-da-republica-faliram-e-se-ajoelham-diante-do-trono-fascista/

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.