bento_xvi

Bento XVI demonstra que os conservadores não se convertem nem têm jeito. Nem como papa se salvam!

Por Dom Orvandil

Joseph Ratzinger, que virou o Papa Bento XVI graças a uma articulação dos reacionários da igreja católica romana em aliança com os interesses dos Estados Unidos, antes assumidos pelo polaco que se fez papa e santo, o anti progressista, anti popular,  anti ecumênico e anti socialista João Paulo II, chegou a ser um teólogo de fôlego e bastante ativo no Concílio Vaticano II.

Tanto foi sério e progressista que o teólogo brasileiro Leonardo Boff conto com ele como seu orientador  da tese de doutorado na Alemanha e dele recebeu recursos para a publicação de um livro.

Mais tarde Ratzinger guinou para a direita tornando-se carrasco de Boff, abusando de seu cargo com prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, substituta do terrível e assassino tribunal chamado de Santa Inquisição, obrigando-o a ser interrogado sentado no mesmo banco no qual foi condenado o cientista Gelileu Galilei. Graças aos abusos inquisitoriais,  forçou o sábio brasileiro a silenciar por um ano, sem direito a celebrar, pregar, lecionar, escrever e a ministrar aulas.

Triste, Leonardo Boff foi convidado pelo Presidente de Cuba e comandante Fidel Castro, que o hospedou na casa dele.

Fidel conviveu profundamente com nosso teólogo, orgulho do povo brasileiro. Leitor assíduo da teologia da libertação,  Castro aproveitou para tirar todas as dúvidas sobre a teologia que nasceu e amadureceu nas lutas contra a opressão e as injustiças gritantes na América Latina.

O impacto dessa convivência foi tão profundo que Fidel confessou a Leonardo que se tivesse conhecido a TL teria feito a revolução com base em seus métodos e conhecimento da realidade, segundo contou Boff em  testemunho  comovido escrito por ele. Acrescentou o comandante,  que aprendeu a descobrir  o cristianismo verdadeiro e não este de Bento XVI ou das igrejas de mercado: ”Mais e mais estou convencido de que nenhuma revolução latino-americana será verdadeira, popular e triunfante se não incorporar o elemento religioso”.

Quanto a desconversão de Bento XVI, que foi papa medíocre, formal  e congelado na  relação com o povo, depois que se foi para a direita espúria, fortaleza dos poderosos e inimigos da justiça social, o fez um solitário covarde, que preferiu a fuga em forma de renúncia ao enfrentamento de um mundo que entra em caos graças ao destroçamento causado pelo capitalismo, que se derrete podre enquanto, como monstro em decomposição, cai sobre os povos.

Na miséria moral da direita, lugar de apodrecimento da fé, da inteligência e do amor ao próximo,  Joseph Ratzinger  se desumanizou e se empobreceu ética e intelectualmente. Isso também ocupou a conversa do Frei Boff com Fidel: ”se o Card. Ratzinger entendesse metade do que o Sr. entende de teologia da libertação, bem diferente seria meu destino pessoal e o futuro desta teologia”, disse Leonardo a Castro (leia aqui).

Agora, como que emergindo de um túmulo putrefato, Bento XVI ressurge fumegando falta de ética e de cinzas bolorentas do conservadorismo setorizado em parte do clero do Vaticano para atacar o Papa Francisco, legítimo e cristão, verdadeiro profeta na defesa dos pobres e do planeta, ameaçados ambos de extinção pelo capitalismo amado pelos conservadores que têm  Bento como papa, embora covarde tenha renunciado.

Ratzinger ataca de que forma e o que?

Agride exatamente a possibilidade de os povos amazônicos contarem com homens casados ordenados sacerdotes. Em nome de argumento sem base coletiva e dogmática, ignorando que São Pedro se casou, Bento procurar dividir a Igreja Católica Romana, tentando puxá-la para trás e para as trevas justo quando ela busca os caminhos do amor, dos pobres e das vocações de homens que contam com o mais profundo do humano, a convivência íntima com famílias.

De posse de um dualismo desumano, que ele envelhecido e sem a vivência de homem casado, nada sabe,  separando sacerdócio e amor, principalmente na relação com povos indígenas, ribeirinhos, das selvas, das matas e da águas, tão abandonados e sem orientação pastoral.

Mas, sem dúvidas, a barbaridade afirmada pelo fujão Bento ao dizer que “não me parece que seja possível exercer as duas vocações (o sacerdócio e o casamento) ao mesmo tempo”  tem muito mais de conservadorismo de direita contra a Amazônia do que qualquer interesse pelo celibato, que não existe o tempo todo na vida da Igreja de Roma.

Enfim, Joseph Ratzinger, permitindo ser  usado,  sem respeito ao Papa Francisco,  por setores ultra reacionários de mãos dadas com o imperialismo, com possíveis dedos de Bolsonaro, ensina que progressistas quando se bandeiam para a direita nunca mais se convertem nem retornam aos bons caminhos.

Como desviado,  Bento mostra o quanto essa gente que se junta com a direita se torna feia e sem ética.

Para a direita os trânsfugas como Bento levam o que aprenderam na busca esforçada das construções teóricas e metodológicas para entregá-las aos inimigos do bem e da justiça.

Aqui no Brasil muitos como Bento se entregaram aos estupros da direita e causaram danos irreversíveis ao povo e à história. Ex progressistas,  socialistas e revolucionários transtornaram de tal modo que arrastaram pessoas às prisões, às torturas e à morte. Carlos Frederico Lacerda foi um dos maiores exemplos desse alto nível de indecência ética.

Bento XVI cheira mal e aparece mal ao mundo na tentativa de destruir o Papa Francisco e puxar a fé de volta para a Idade Média e para o inferno!

Leia também:

Como cadela adestrada do mercado e da matilha golpista o Estadão passa mãos delicadas em Bolsonaro;
Apesar das bombas, guerras e destruições terroristas dos USA a vida resiste e avança.
Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

4 Comentários

  1. "Bento XVI demonstra que os conservadores não se convertem nem têm jeito. Nem como papa se salvam!" Acesse e compartilhe somente o link do Cartas Proféticas: http://cartasprofeticas.org/bento-xvi-demonstra-que-os-conservadores-nao-se-convertem-nem-tem-jeito-nem-como-papa-se-salvam/

  2. […] *Bento XVI demonstra que os conservadores não se convertem nem têm jeito. Nem como papa se salvam!… […]

  3. […] dia 13/01 analisei duramente a traição do ex teólogo, ex inteligente e ex progressista cardeal Joseph Ratzinger que, por […]

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.