carta de lula à cut

Carta de Lula à CUT merece reflexão: “minha identificação com a CUT não se resume a esse momento”

Como nas cartas para o MST e para a FUP nesta, à CUT abaixo, em poucas palavras,  o ex presidente Lula derrama sua alma,  rica em história, em luta sem tréguas, em sentido coletivo de família e sociedade.

O significado de companheirismo ultrapassa a repetição rotineira da palavra “companheiros/as”  – companheiro do latim é partilhar o pão de mão em mão – retumbando na partilha da vida que,   em se tratadando de trabalhadores/as, de operários/as,  não é nada fácil porque pertecentes e sujeitos da classe dominada, sempre explorada e desafiada à luta permanente pela derrubada da elite dominante, fonte de todas as explorações, opressões, massacres,  desumanidades e injustiças.

Ao referir-se à identificação dos dois lados – dele com a CUT e desta com ele – Lula tange o mais sagrado significado do compromisso coletivo de classe trabalhadora, mesmo expalhada em segmentos tão diversos e até divergentes, como os componentes da maior central sindical do país e da América Latina.

A relação Lula- CUT se enraiza na história recente do Brasil. Nosso País, pisado pelas botas imperialistas através de uma ditadura civil-militar sangrenta,  forjou uma classe operária aguerrida,  que tangeu o poder político sem tomar o poder econômico, no entanto.

Essa relação sinalizada por lances enomicistas de quem buscou melhores condições aos/às trabalhadores/as chegou perto de estendê-las profundamente a todo o País, servindo como modelo para o mundo.

Na CUT e sindicato dos metalúrgicos de São Bernardo Lula e trabalhadores/as ajudaram a luta trabalhista e derrubaram a ditadura. Lá Lula namorou, casou e velou sua mulher, praticamente assassinada pelos cães adestrados do imperialismo, os lacaios da farsa jato. Lá família, preservadas as intimidades de cada uma, é noção de luta, de força mútua, de solidariedade e até de resistência contra as ditaduras militar e lavajateira, ambas feitas de ratos do imperialismo.

A raíz de classe que derrubou uma ditadura sangrenta é a mesma que tem que se fortalcer para varrer as farsas atuais que tomaram e apodreceram o parlamento, os governos e o judiciário brasileiros.

De certa forma,  na gratidão de Lula, nesta carta, perpassa o chamamento à luta que deve se aprofundar. Apela à luta aguerrida que é de todos/as, principalmente do povo trabalhador.

Não há como tergiversar, enquanto classe os/as trabalhadores/as são instados/as à luta permanente até a derrubada do capitalismo, fonte infernal de todas as injustiças.

Em conjutura de crise,  a luta tem que ser ampla, geral, irrestrita e essencial, sem relevar bobagens, ofensas e agressões de quem se pensa elite, que traí sua condição de classe apesar dos salários e o ódio da elite,  que tentam imitar e igualar.

Todos/as os/as assalariados/as somos trabalhadores/as. Por isso somos perseguidos com e em Lula.

Leia abaixo a carta do ex presidente Lula, plena de humanidade, de história e de amor aos/às trabalhadores/as.

Colabore com o Blog

Meus queridos companheiros da CUT,

A minha identificação com a Central Única dos Trabalhadores não se resume a esse momento. Não é a toa que a minha história se confunde com a de cada um de vocês. A construção da CUT foi o fato histórico mais importante para a unificação das lutas do movimento sindical brasileiro.

Eu soube das inúmeras mobilizações organizadas pela CUT por todo o Brasil, se manifestando nas cidades, no campo e nas estradas contra as injustiças que estão sendo cometidas contra mim. Eu sei também que a CUT está na linha de frente do acampamento de resistência montado aqui em Curitiba; assim como estiveram ao meu lado no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo.

Envio essa carta a vocês para agradecer pelo esforço de cada companheiro e cada companheira cutista que está junto comigo nessa luta. A todos vocês que acreditam da minha inocência e lutam contra a injustiça, serei sempre grato.

Um abraço fraterno.

Luiz Inácio Lula da Silva.

Um comentário

  1. Muito linda! Somos todos Lula, somos fortes, somos Cut.
    Abr Lula. Até breve.

Deixe uma resposta