Presidential candidate Jair Bolsonaro of the Party for Socialism and Liberation (PSL) greets Ciro Gomes of the Democratic Labour party (PDT) before the television debate at the Rede TV studio in Osasco, Brazil August 17, 2018 REUTERS/Paulo Whitaker

Ciro Gomes faz o jogo sujo e miliciano de Moro, Dallagnol e Bolsonaro

Como cidadão brasileiro Ciro Gomes é lamentável e covarde patriota.

No momento em que o povo brasileiro se angustia, sofre e que encontra na libertação de Lula o ânimo para se levantar e  construir resistência e marcha contra a destruição o que Ciro diz?

O invejoso do PDT acusa o ex presidente de praticar farsa e de enganar o povo ao se lançar candidato “sem poder ser”.

Como aliado do milicianismo Ciro mente deslavadamente. Quando e onde Lula se disse candidato?

Ciro é obcecado e profundamente neurótico de amarrar por só pensar em eleição.

Tudo o que o péssimo patriota pensa é em eleição, mesmo que seja sem povo, sem projeto, sem comunhão profunda com o Brasil.

Por essa razão ele tenta, a favor de gangue lavajatista e do milicianismo que apodrece a república, negar o valor de Lula viajar pelo Brasil.

Ciro tem medo terrível  de que o povo se una, se levante, principalmente se for entorno do nordestino que mais entendo nossa alma.

O bufão e eterno candidato da elite avalia que só se pode unir o povo, viajar ao seu encontro, abraçá-lo e conclamá-lo a resistir se for para fazer campanha eleitoral.

De alma pequena usa a farsa que condenou Lula sem provas e sem honradez, por puro interesse político fascista e pró imperialista,  e o pré condena. Chega ao ponto de falar delinqüências contra a Constituição,  recentemente socorrida pelo STF ao reconhecer que não há condenação até o chamado trânsito em julgado, o que está longe de acontecer com Lula. “O Lula não saiu da cadeia inocente, nem inocentado pelos tribunais”, vomitou o rasteiro eterno e derrotado candidato.

E mais uma vez mente sem vergonha nenhuma ao negar o que o mundo sabe: que Lula era preso político.

“Preso político? O último preso político notável da América Latina foi o (ex-presidente do Uruguai Pepe) Mujica. Preso (durante a didatura militar do país sul-americano), que nunca viu um promotor ou juiz, sumiu. Ficou um ano numa fazenda dormindo num silo, quase enlouqueceu. O nome disso é preso político. Agora o outro lá é preso político. Aí de repente o Supremo manda soltar e pronto, não é mais preso político? Percebe? É um negócio de doido. Se você entrar nisso, é a tragédia brasileira”, disse ao jornal O Globo o mesquinho e pequeno Ciro Gomes.

Enfim, em que o divisionista, invejoso, burguês e eleitoralista Ciro Gomes se diferencia de Jair Bolsonaro e da catrefa lavajatista?

Em nada.

Ciro Gomes é puta aberração e prejuízo político nacional.

O interessante o quanto ele se esforça para ser inútil ao agradar  a rede esgoto Globo. Ao contrário do grande Leonel Brizola, fundador do partido roubado por Ciro e por sua família, que a Globo e os Marinho temiam, agora o sabujo trai e cospe sobre a memória do grande herói brasileiro.

Ainda bem que sabemos que os túmulos têm somente 7 palmos de terra em cima,  mas que as tampas da história enterram firmes os traidores.

Presidential candidate Jair Bolsonaro of the Party for Socialism and Liberation (PSL) greets Ciro Gomes of the Democratic Labour party (PDT) before the television debate at the Rede TV studio in Osasco, Brazil August 17, 2018 REUTERS/Paulo Whitaker
Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.