Pastor_Martin_Niemoller

Como o pastor no nazismo: “Agora levaram-me a mim e quando percebi já era tarde”

Pastor Protestante Martin Niemoller**

Marcia Tigani*

Primeiro eles retiram financiamento das mais importantes universidades brasileiras. Depois sobrevém a falta de dinheiro para luz, água, limpeza e salários. Aí vem o brasileiro  que votou nessa aberração cognitiva chamada Bozo e apoia a privatização. É isso aí: privatizar todo o ensino e pesquisa, desde ensino fundamental, tudo privatizado. Essa é a ” técnica” que o ” Chicago Boy”, vulgo Guedes, apresenta como seu plano para ” resgatar a economia”. Das 18 universidades públicas abertas no governo Lula, mais outras tantas de ensino técnico, não sobrará nada prá contar história. Como disse Bozó no dia da humilhação em Washington, quando quase rastejou frente à Trump naquele jantar da vergonha brasileira, ” não  temos que construir: aliás nosso governo terá  mais a desconstruir”.

E ninguém faz nada!

Suspeito que a reação incisiva mesmo  virá dos estudantes que ontem já saíram às ruas do país em protesto pelo desmonte do ensino público. O resto dos brasileiros ou estão nas Igrejas ou na internet.

*Médica, Psiquiatra, Poeta, Escritora, Militante e Colunista do Cartas Prféticas.

Não pense nem demore, apoie o projeto Cartas Proféticas. Clique aqui e acesse a conta para contribuir. Muito obrigado e abraços. 

Veja também e compartilhe:

Apesar da violência promovida pelo fundamentalismo e pelo fascismo, que se despeja de cima para baixo, deputada de Goiás aprova lei de proteção às mulheres;

Afinal, como entender o que ocorre na Venezuela?

Desmonte na educação mostra urgência da mobilização popular;

Profecia Vespertina: “As brasas populares começam a se reunir para a derrubada de Bolsonaro!”

Live direto da Radio Líder: dom Orvandil bate papo com Elizeu da Silva do sindicato dos Correios.


**Primeiro levaram os comunistas,

Mas eu não me importei

Porque não era nada comigo.

Em seguida levaram alguns operários,

Mas a mim não me afectou

Porque eu não sou operário.

Depois prenderam os sindicalistas,

Mas eu não me incomodei

Porque nunca fui sindicalista.

Logo a seguir chegou a vez

De alguns padres, mas como

Nunca fui religioso, também não liguei.

Agora levaram-me a mim

E quando percebi,

Já era tarde.

Deixe uma resposta