cristovam_traidor

Cristovam Buarque não é o direitista Papa Bento XVI. É imoral e traidor da pior espécie!

Por Dom Orvandil

No dia 13/01 analisei duramente a traição do ex teólogo, ex inteligente e ex progressista cardeal Joseph Ratzinger que, por desejo do conservador Papa João Paulo II, este feito “santo” com o objetivo de acalmar os demônios da cúria romana do Vaticano,  feita de corruptos, reacionários e aliados dos poderosos neoliberais donos dos monopólios,  espinhas dorsais econômicas do imperialismo internacional e destruidor do mundo, foi “eleito” Papa.

Sei que beirei a crueldade ao afirmar que Bento XVI foi covarde ao renunciar ao pontificado reacionário ao invés de fazer autocrítica e retornar aos caminhos progressistas os quais traiu, deles se desviando. Minha análise se orienta pela consciência de que nessa luta não há romantismo nem melzinho com o açúcar do fingimento dos que acham que todos são bons e que precisam apenas se converter.

No dia seguinte os noticiários internacionais se tingiram com o pedido de Bento pedindo que o seu nome seja retirado do livro do qual é co-autor e nele publicou um artigo defendendo o bolorento celibato dos padres romanos. As noticias davam a entender que o ex papa dava marcha ré com o objetivo de evitar o catastrófico e, talvez  necessária, da divisão da Igreja Católica Romana, cindida entre os piores conservadores internacionais, aliados de primeira hora dos senhores da guerra e dos pobres em todo o mundo e a corrente teológica, pastoral e política que sustenta o amado e respeitado Papa Francisco.

Penso que a notícia sobre a aparente benevolência do ex papa não muda nada e não convence ninguém. Esse pessoal de direita não faz autocrítica nem se converte.  Age sempre de má movido  por interesses sombrios e mesquinhos. O inferno que criam no mundo é o lugar insuportável do qual nunca se afastam.

Pois, hoje,  dá espetáculo na mídia um novo ‘arrependido” do pau oco, cheio de produtos intestinais no cérebro a conduzir os pensamentos, palavras e obras dele. Este é um brasileiro, ex católico romano e ex ativista das pastorais sociais e CEBS.

Trata-se do “seo” Cristovam Buarque, ex inteligente reitor da UNB, ex governador do DF, ex senador e ex intelectual.

Pois o “seo” Cristovam é traidor de marca registrada. Nessa condição virou as costas para o PT, do qual foi militante de primeira hora, depois se filiou em outros periclitantes partidos das danças de cadeiras eleitoreiras  sob a música dos votos e da falida representação, que empurra parlamentares e governantes para dentro dos gabinetes longe do povo, sem povo e sem luta política,  para desembocar naquele que  também é o lugar dos ratos e traidores da pior espécie. Cristovam Buarque se aninhou no PPS, agora Cidadania. Esse é o mais representativo partido dos traidores do marxismo, da revolução e do socialismo e até mesmo da vacilante e macia socialdemocracia “paz e amor”, monturo feito para o chorão derrotado por trair o povo.

O partido de Cristovam, que ostenta em algumas de suas sedes fotos dos grandes patriotas Luiz Carlos Prestes, Oscar Niemeyer e de outros heróis, com quem não guarda nenhuma relação decente na luta pela emancipação da classe operária, é, na verdade, o caminho mais apropriado para energúmenos como ele e seu líder de gangue, Roberto Freire.

Lá no ninho de cobras dos traidores mais sórdidos, ao lado do desprezível Roberto Freire, que de Freire não guarda nada, desancou ódio se associando aos corruptos, entreguistas e ladrões neoliberais abrigados no PSDB, no DEM e em tantos antros ocultos nos esgotos inimigos do Brasil, votando no golpe a favor do impeachment da Presidenta Dilma, no apoio às molecagens do vampirão Mi$chel Temer, ocupando ministérios para atacar a república, ajudando a chegarmos na desgraça do fascismo com o desgoverno miliciano Jair Bolsonaro.

Ouvir Critovam Buarque falar nas tribunas do Senado Federal foi a coisa mais nojenta que tive que fazer nessa vida.

Interessante os traidores e inimigos da pátria. Eles mergulham nas fezes expulsas dos intestinos da história, obrigam  todos ao redor a respirarem os destroços do que destroem em colaboração com os  comparsas do horror e, depois, aparecem com as caras mais deslavadas do mundo, como se tivessem tomando banho purificador da água benta ética.

Este é o caso de Cristovam Buarque,  que reapareceu pedindo autocrítica da esquerda. Pior, dizendo-se de esquerda e que, nessa condição imprecisa, precisamos fazer autocrítica dos nossos erros.

Em entrevista ao Globo, jornalão da família Marinho, a mais safada, traidora, manipuladora, neoliberal e banda das mais apodrecidas da chamada elite brasileira, Buarque reza: “A primeira coisa é aceitar que erramos…  Se nós não tivéssemos errado, o presidente não era o Bolsonaro. Era alguém do PSDB, alguém do PT, do PSB, do PDT. Era alguém desse bloco. Aliás, um erro grave foi o de cair na corrupção. Nós, como bloco, toleramos a corrupção, o aparelhamento do Estado, convivemos com as mordomias”.

Felizmente eu não estava junto dele na hora do falso derramamento de confissão,  com a cara que o ‘penitente’  da confusão deve ter feito. Buarque deve  ter sofrido colagens de camadas fortes de serragem ou uma máscara de pau. Eis o que disse o tonto e traidor: “Vai ter de ter. O Brasil vai ter que encontrar um rumo e uma coesão. São duas palavras que eu acho que resumem nosso fracasso. Nós não fomos capazes de fazer uma coesão e não fomos capazes de definir um rumo”, afirma ainda Cristovam, que se apresenta chorão como porta  voz para fazer a chamada “autocrítica” da esquerda.

Ah tá. Há certas pessoas que não têm senso moral de decência; que são incapazes de rever os discursos sujos que vomitaram em apoio aos traidores,  dos piores corruptos como os da laia com quem se juntou o covarde Cristovam Buarque.

O meu pai dizia que “cachorro comedor de ovelha só matando”. Buarque é um desses cachorros que decepcionariam o “seo” Francisco Barbosa, como o era Carlos Lacerda.

Cristovam fala em autocrítica usando o discurso moralista, farisaico, fundamentalista e hipócrita da corrupção. O biombo usado pelos mesmos traidores e boiadas do imperialismo, sob cujas asas o falso “arrependido” se abrigou para trair o Brasil.

Sem povo, sem pátria e sem decência,  Cristovam Buarque não menciona, como muitos dos da laia dele,  as únicas coisas a serem feitas: unir-se ao povo que foi trocado por cargos nos governos, nos parlamentos e na mídia; buscar o saber dos que lutam sempre sem jamais se afastarem da classe trabalhadora, estraçalhada em sua alma de lutas por sociedade justa, sem exploração e não abrigos  para  traidores e pulhas como Cristovam Buarque e seu discurso miserável e oportunista.

Leia e acesse também análises recentes:

* Chimarrão PROFÉTICO: “Os bebês chorões da traição e da autocrítica”;

*Tribos e organizações indígenas resistem ao fascismo miliciano de Jair Bolsonaro;

*Anoitecer Profético: “Respeito e solidariedade ao Irã na união contra as bombas dos USA!”;

*O empijamado Augusto Heleno desonra do exército brasileiro por ser assassino e eminência parda do fascismo;

* Finalmente, a tão esperada “nova política” de embolsonaro está acontecendo!

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

3 Comentários

  1. A triste sina de um canalha no seu afã de trair e iludir. Ajude-nos a movimentar o nosso Cartas Proféticas. Compartilhe somente o link do blog: http://cartasprofeticas.org/cristovam-buarque-nao-e-o-direitista-papa-bento-xvi-e-imoral-e-traidor-da-pior-especie/

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.