vilela-temer

Deputado Daniel Vilela salva o quadrilheiro Michel Temer e trai povo brasileiro

O deputado Daniel Vila corre contra o tempo e contra o povo, enganando-o, para se potencializar como candidato do antro chamado PMDB ao governo do Estado de Goiás.

Filho de ex governador de Goiás e ex prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela, o rapagão alto dança a agitada música do oportunismo ao som do golpe do quadrilheiro Michel Temer.

Daniel Vilela, deputado federal que mal representa o Estado de Goiás pelo partido de malas de donos bandidos – PMDB – carrega nas paletas a marca da traição à classe trabalhadora por lealdade aos mais sujos golpistas e quadrilheiros da classe dominante,  a quem serve.

No início deste ano solicitou do presidente da CUT GO, o odontólogo Mauro Rubens, uma reunião com os trabalhadores como presidente da comissão da deforma das leis trabalhistas na Câmara dos Deputados.

Centenas de sindicatos compareceram ao encontro com o cínico, que “confessou” certo desconforto no partido dele, o dos quadrilheiros golpistas, pelo fato de ele, o fingido, se dispor  a conversar com os trabalhadores. Hipócrita, declarou que isso não seria problema para ele. Contudo,  votou contra os trabalhadores que  lhe apelaram a que lutasse contra o desmonte fascista das conquistas de anos.

Agora novamente, em troca de favores menores do quadrilheiro seu chefe, que jamais tem interesse pelo Brasil, votou para salvar MiSchel Temer de ser investigado, julgado e punindo pelo comparsa STF por ser ladrão do dinheiro público.

Daniel Vila, o traidor e mesquinho, quer ser governador de Goiás. Claro que o povo o observará  na próxima votação para salvar o seu quadrilheiro chefe.

Com informações do Brasil 247, Goiás.

Colabore com o Cartas Proféticas que analisa as notícias, busca os nexos com o todo, com as causas e os efeitos e critica  propositivamente.

Compartilhar:



Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.
Os comentários expressam a opinião de seus autores e por ela são responsáveis e não a do Cartas Proféticas.