Dom Joaquim

Dom Joaquim Giovani Mol Guimarães, bispo auxiliar de Belo Horizonte e reitor da PUC-Minas critica aprovação de ensino religioso confessional

Dom Joaquim Giovani Mol Guimarães criticou enfaticamente a decisão do STF de aprovar  o ensino religioso confessional em escolas públicas.

Alega o bispo que com este modelo o professor (ou qualquer representante de alguma confissão religiosa) poderá demonstrar sua fé em sala de aula e direcionar o ensino para uma igreja ou religião  professada, por tal encinador, costrangendo os alunos.

Ao criticar os minsitros que votaram a favor do absurdo e do atraso  dom Joaquim disse que “o desacreditado STF cedeu ao lobby católico” e acrescenta que “a decisão é um retrocesso e é obscurantista.”

Assim se manifestou dom Joaquim na sua página no Facebook.

Confira seu texto postado no Facebook:

Ensino Religioso (ER) em escola pública só pode ser ensino da religiosidade, da dimensão religiosa, das atitudes e valores condizentes com a religião.

O problema é a confessionalidade, na escola pública, com recursos públicos e a possibilidade certa de hegemonia da Igreja Católica, agora, e depois das Igrejas Pentecostais.

A tradição do ER no Brasil, com exceção de alguns lugares e dioceses muito reacionárias e conservadoras é o ER não confessional. O desacreditado STF cedeu ao lobby católico. Os melhores pensadores do ER em escola pública no Brasil não aceitam a confessionalidade e isso, por imposição autoritária de alguns, não foi respeitado.

A decisão é um retrocesso e é obscurantista.

Mas… sigamos. Trabalharei muito para praticar o ER não confessional, trabalhando com os professores.

A confessionalidade da religião é objeto da catequese, na comunidade de fé, na família e, com as devidas adaptações, na escola confessional.
Cada um em seu lugar e todos conversando com todos, escola, família, comunidade, sociedade.

O ER, processo de educação da religiosidade, cumpre uma tarefa e a Catequese, processo de educação da fé, cumpre outra tarefa. Ambas dialogam e se entendem muito bem.

Simples assim!

Colabore com o Cartas Proféticas que analisa as notícias, busca os nexos com o todo, com as causas e os efeitos e critica  propositivamente.

Compartilhar:



2 Comentários

  1. D. Joaquim Mol, como presidente do CONERES , assim como todos os membros de nosso conselho estamos horrorizados com a falta de bom senso dessa que se diz suprema justiça.
    Precisamos nos unir na luta por ER não confessional mas sim iterrreligioso acolhendo a todos s
    preconceito, sem proselitismo. Sua posição nos contempla muito bem. Agradeço em nome do CONERES !

    Ir.Rita Cola - Vitória - RS

  2. É bom termos nossos irmãos e irmãs fazendo comentários sobre o Ensino Religioso Confessional ora aprovado! Muito me admira não ter havido uma discussão mais ampla com a sociedade, especialmente, com Conselhos do Brasil todo de todas as denominações , que têm suas peculiaridades, seus projetos, suas propostas de diálogo ecumênico!
    Cada vez mais me convenço de que estamos num momento de estado de exceção, que cairá nas mãos de governantes autoritários, intolerantes, enfim, se já estamos a um passo de uma outra ditadura, militar ou não!
    Temos que nos unir, o combate é difícil, porém, vamos resistir!

Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.
Os comentários expressam a opinião de seus autores e por ela são responsáveis e não a do Cartas Proféticas.