Moro-e-mulher-enamorados

Dona Rosângela Wolff Moro, esposa do “seo” Sérgio Moro, debocha do povo brasileiro

A dona Rosângela  Wolff Moro, certamente em combinação com as “convicções” sem provas do “seo” Sérgio Moro, o chefe da gangue da farsa a jato da republiqueta cloacal de Curitiba, resolve, além de madame burguesa, meter-se a conselheira do povo brasileiro.

Num português típico de madame semianalfabeta, que confunde os pronomes pessoais “você” e “tu”, derrama seu veneno reacionário, nitidamente farisaico intenso em juízos prévios e de condenações que apenas esperam as crucificações ou enforcamentos de perseguidos, mete-se a aconselhar  o povo a fugir.

“Que Brasil você quer? Vote consciente! Vote no coletivo! Não aceite promessa nem Favor! Somos gigantes! Teu candidato é réu? Fujaaaaa! Confie nas instituições, as instituições trabalham para um brasil melhor! Não aceite caridade, exija direitos!!!!!”, escreveu a burguesa na sua página no Facebook (publicado pelo site Brasil 247).

Em quem ela pensa quando dá uma de aconselhadora? Em narcotraficante Aécio Neves com quem o marido dela, vira-lata do imperialismo, bebeu aguinha mineral em público? Ou no quadrilheiro MiSel Temer, a cujas mãos apertou e beijou em público, envolvido até a base de sua uretra em crimes e roubos? Ou ainda nos chefes de organização criminosa, a rede Globo, sonegadora de impostos e mentirosa bandida com quem ele se mancomuna para corromper o judiciário e caçar inocentes,  acusando-os sem provas de crimes que não cometeram?

Não, de modo algum. A dona Rozângela, com o incentivo de seu desmiolado marido,  vem pelo Facebook tentar pressionar a opinião pública a aceitar passivamente as manobras mentirosas, criminosas e golpistas contra o ex presidente Lula e contra os democratas que defendem o Brasil e o povo brasileiro.

Com o maior e vulgar cinismo, a dona Rozângela ainda apela, em explícito desespero com a decadência da credibilidade, a crer nessas instituições judiciárias, que viraram antros de golpistas e defensores de quadrilheiros traidores da Pátria.

De modo cruel,  essa madame infame ainda debocha dos pobres e do projeto de um Estado Social inclusivo.  Com poucas e mal escritas palavras vomita o discurso fascista de que programas sociais são esmolas.

Que pena que essa madame perdeu grande chance de se calar no silêncio dos inúteis e inimigos da Pátria.

Colabore com o Cartas Proféticas e aumente sua renda ajudando organizar seminários em sua cidade. Veja como.

Colabore com o Blog

Leia também carta de Dom Orvandil: “Desprezo os votos de “feliz natal” e “feliz ano novo”

Compartilhar:



Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.
Os comentários expressam a opinião de seus autores e por ela são responsáveis e não a do Cartas Proféticas.