bolosonaro_caiado

Em Goiás move-se o mais vil puxa saco do miliciano Jair Bolsonaro, o desgovernador “seo” Ronaldo Caiado

Neste Estado,  que nasceu do roubo de ouro, de prata, de pérolas e da matança cruel de indígenas, postando no panteão como heróis criminosos dos mais sanguinários e produziu  “famílias”  “tradicionais, verdadeiras castas de fazendeiros matadores dos escravos,  que exploravam e exploram seus serviços pesados.

Uma dessas linhagens é a dos Caiado. Suas marcas sempre foram a escravatura, o uso do poder público para empoderar seus próprios negócios, todos ligados às fazendas e às rapinas do Cerrado.

Assim se formou essa casta de nariz empinado, vaidosa, arrogante, violenta e de prática fascista. Suas marcas são o machismo, o pouco falar e muita bala, tendo a escravatura como exploração máxima da mão de obra dos trabalhadores das fazendas feitas de terras griladas e roubadas de pequenos agricultores.

É famoso por aqui o método de usar caminhões paus de arara, que se postam em praças nas cidades com o objetivo de oferecer trabalhos aos trabalhadores rurais desempregados. As promessas de conforto, alimentação, salários, folgas e férias com as famílias e depois moradia são quebradas quando os veículos do inferno adentram as fazendas.

Ao chegarem os trabalhadores recebem a conta do óleo, do trabalho do motorista, do desgaste do caminhão, da cantina e da pousada onde morarão, apesar das infernais e indignas condições de habitabilidade.  

São logo informados de que se quiserem “acertar as contas”  podem fazê-lo e saírem por um túnel lateral ao portão principal da entrada e da saída da fazenda. Na travessia,no  entanto, são aguardados por jagunços, que os saqueiam e matam,  levando todo o dinheiro suado de volta para o proprietário.

É essa a origem do “médico” – como ele gosta de autoproclamar – Ronaldo Caiado. O governador de Goiás, eleito na onda fake news e fascista nasceu da bandidagem, da grilagem, da escravatura, do roubo e da mamação no Estado, bem ao contrario de Pedro Ludvico, um patriota, nacionalista, democrata e engajado na famosa Marcha para o Oeste, um projeto de Getúlio Vargas. Por isso odiado pelos Caiado.

Pois nessa semana o “seo” Caiado aparece como censor de sites, blogs e shows.

O “seo” Caiado é viciado na barbárie e na falta de respeito à democracia. Ele não suporta o contraditório e a crítica, bem ao estilo de seu último modelo, de quem puxa saco, o miliciano Jair Bolsonaro, o seu semelhante.

Embalado pelo fascismo de seu ídolo e de quem apoja idéias, o “seo”  Caiado cancelou o show do cantor e poeta Itamar Correia, que homenagearia os mortos da ditadura sanguinária militar, dom Pedro Cassaldáliga, dom Tomás Balduino e o Frei Marco Lacerda, todos defensores dos pobres e da justiça agrária.

Quem assassina, destrói reputações, odeia os trabalhadores e os pobres obviamente abomina quem com eles e por eles luta.

Enfim, o “seo” Ronaldo Caiado censor, puxa saco do seu igual, o miliciano Jair Bolsonaro,  apenas revela sua própria alma de fundador da União Democrática Ruralista.

Esta organização assassina e criminosa foi criada para defender os interesses e crimes dos maiores bandidos do Brasil, que nos campos e nas matas de nosso país sangrou Chico Mendes, Irmã Dorothy e milhares de lideranças que tombaram na defesa de seus povos, das matas, das águas e das terras.

O “seo” Ronaldo Caiado criou e presidiu a UDR como antro de assassinato. E isso ele avisou por uma cadeia de rádio – unindo as rádios Guaíba e Gaúcha – no RS, babando de ódio,  dizendo aos Sem Terra que agora um grupo de homens estaria pronto para enfrentá-los. Usou muitas ofensas e agressões no discurso patrocinado pelos poderosos que, mais tarde,  golpearam este país.

O “seo” Caiado, feito de ódio e de covardia, é chefe do bando da UDR, núcleo duro do partido DEMOCRATAS – DEM –, que saiu da ARENA, partido fascista da família Moro e sustentáculo civil da ditadura militar, com quem  o ex presidente Lula manifestou desejo de conversar. Um partido golpista. O presidente da Câmara, o deputado “seo” Rodrigo Maia é filho do traidor de Leonel Brizola, o indigitado e arrogante César Maia, que queria andar pelado pelas ruas do Rio de Janeiro como seu prefeito.

Cuidado com negociaciações com golpistas, direitistas, traidores e institucionalistas do partido da UDR e da ditadura , fonte ideológica do chefe de jagunços, o “Seo” Ronaldo Caiado!

Cuidado com as negociações sobre tapetões e ar condicionado. É aí que bandidos assassinos de trabalhadores, de indígenas, ladrões de terras, golpistas reformistas, fascistas e mercadistas costumam golpear o povo e a Pátria. A história é prenhe de exemplos malvados!

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.