BBBs

Evangélicos brasileiros repercutem no mundo como associados aos ladrões, aos bandidos,  aos destruidores do meio ambiente e dos indígenas. Vergonha!

Uma matéria do Le Monde francês retrata o vergonhoso papel reacionário, fundamentalista, fascista e golpista dos evangélicos  inimigos do desenvolvimento e do progresso do povo brasileiro, a famosa bancada da bíblia (com “b” minúsculo).

Os corruptos e reacionários “biblioteiros”, falsos cristãos, são aliados das bancadas da bala e da bola.

Sempre os/as deputados/as “evangélicos/as” votam em união com as outras duas “bs”.

Ao aliançar-se com a bancada da bala os tais santos do pau oco violam o mandamento essencial de defesa da vida, o famoso “não matarás”.

De mãos dadas com os boieiros escravocratas, envenenadores dos rios, os ruralistas, que odeiam as matas e matam os indígenas e os pequenos agricultores, os “santos evangélicos”  apoiam o banditismo e violam o mandamento transversal na Bíblia, o de amar a natureza considerada Jardim do Éden.

Na frente conservadora formada pela golpista bancada da bola os paus ocos se somam à rede criminosa Globo, que domina o ambiente esportivo brasileiro.

Em tudo os evangélicos,  além de traírem o cristianismo que dizem seguir, envergonham o Brasil e a democracia.

Tanto são vergonha que o quadrilheiro MiShel Temer, considerado ungido pelos bancarroteiros evangélicos, conta com os votos deles para a aprovação de tudo que atenta ao desenvolvimento, à democracia, à soberania nacional e à justiça social.

Claro, o quadrilheiro MiShel Temer contempla os “santos evangélicos” na aquilo que eles mais amam: o dinheiro. Muito dinheiro a fundo perdido.

Clique aqui para ler toda a notícia no Le Monde.

Colabore com o Cartas Proféticas e aumente sua renda ajudando organizar seminários em sua cidade. Veja como.

Leia também: “Os que produzem cadáveres buscam a morte de Lula”. 

Compartilhar:



Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.
Os comentários expressam a opinião de seus autores e por ela são responsáveis e não a do Cartas Proféticas.