nazifascistas

Fascistas sempre existiram, mas agora acham que podem matar à vontade

Marcia Tigani*
Fascistas sempre existiram ao nosso lado. Percebíamos que eram fascistas pelo tipo de escolha política e modo de se referirem às minorias e aos governos progressistas de esquerda. Também tinham posturas cotidianas no relacionamento interpessoal que os revelava. Por exemplo: um vizinho meu, síndico do condomínio onde moro, mandou o filho de 7 anos desenhar uma suástica no meu muro. E o menino fez direitinho. Motivo: eu pedi que,  como síndico,  ele intercedesse e fizesse alguma coisa para impedir uma tragédia pois havia um vizinho viciado em cocaína que agredia violentamente a mulher. Ele me respondeu que nada faria pois a mulher merecia apanhar. Chamei-o de FASCISTA e ele confirmou: mandou o menino desenhar a suástica no meu muro.  Minha filha, quando pequena,  brincava com os filhos deste indivíduo e um dia ela veio chorando e dizendo que não queria mais brincar com eles pois o menino tinha uns hamsters e como ” diversão”,  atirava-os na parede e matava os um a um. A mãe nada fazia para impedir.
Outro vizinho, filho de militar, veio ao meu portão brigar com um pedreiro que fazia uma reforma aqui. Eu presenciei-o dizendo para o cara: “por que você estava olhando para minha casa? Quero ver seus documentos”. Tive que intervir pois o pedreiro humilde pedia desculpas para o coxinha dizendo ter olhado para sua casa admirando o lago de peixes que havia na frente.

 

Agora teremos que conviver com estas hordas com governo Haddad ou DESgoverno BOZO , com o agravante de que se BOZO ganhar essa gente vai estar liberada para matar.

*É médica, especialista em psiquiatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e pela Associação Brasileira de Psiquiatria, pós graduada em saúde mental e coletiva pela Universidade de Taubaté(SP), participou da implantação de novos equipamentos em saúde mental na gestão municipal petista de Ângela Guadagnin. É filiada ao PT desde 2016, escritora e poetisa, sendo seu livro de estréia lançado na bienal internacional do livro de São Paulo : ”Caminhante: Prosas e Rimas ao Vento”, atualmente dedica- se à clínica psiquiátrica em São José dos Campos(SP) e Caçapava e a escrever artigos políticos e poesias publicados em diversos sites da internet. É colunista do Cartas Proféticas.

2 Comentários

  1. Compreendo , acho benigna a postagem da Dra Márcia Tigani em relação a postura dos fascistas opositores políticos da Esquerda...São facínoras por fanatismo político , são imbuído de ódio e capatazes de violência sem limites...
    O quê aos olhos desavisados pode parecer picuinhas domésticas muitas vezes torna crimes .Marcia é médica, nobre poeta, escritora, por isso sensível à carência humana,às causas humanitárias, pelo mesmo motivo respeitada e odiada pelos opressores partidários.
    Comungo com a mesma o medo, respeito sua postura ante as barbaridades ocorrentes.

  2. Ante tanta violência sem sentido, em nome de uma ideologia política ,o comportamento do ser humano está tomando rumos temerosos, a propagação fascista que sempre existiu, hoje se confunde com ameaças, desrespeito, violência tal , conduzentes ao crime, tragédias anunciadas ...por isso o pavor , a preocupação da Dra Márcia, médica, mãe poeta, escritora , sensível às causas humanitárias no sentido político,cristão sensato do seu jeito de ser...o que não impede que a mesma seja amada e odiada ao mesmo tempo pelo os opositores da direita.
    Sua postagem , ao meu ver, é um alerta aos desavisados , humildes o que pode acontecer com o propósito opositor de...
    " Mudar este País"!

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.