Fé e luta!

Fé sem ilusão com messias e soluções desesperadas!

Amado casal e professores Marismélia Gomes de Oliveira e Pedro Luis de Oliveira, Manhuaçu, MG

Soube emocionado sobre vocês e a história da fé que sempre os empurrou para o meio do povo pelos caminhos da libertação.

A fé que o anima os enraizou em comunidades eclesiais de base e os fez frutificar em um grande projeto com vínculos nacionais.

Os pobres, com quem vocês lapidaram a aliança libertadora e da esperança, cruzaram portas de universidades como parte da luta. Obtiveram o direito ao trabalho, ao salário mais digno, à moradia, a viagens e aos bens da vida, de direito de todos.

Vocês renovaram os pulmões com o novo ar da fé que os animou e formatou sua visão de vida e de luta.

Pelo que eu soube,  a fé que os anima não é do tipo “igrejismo” dominado por donos de currais de fanáticos e fundamentalistas manipulados por coronéis usurpadores, que usam seus rebanhos para enriquecer e como moeda de troca para negociar com os poderosos.

Não, a fé os remeteu para o “Cristo do povo”, como escreveu Márcio Moreira Alves, dando esse título a um maravilhoso livro que conta as entranhas dos porões de torturas e das prisões onde morreram muitos heróis brasileiros durante a ditadura civil-imperelialista-militar.

A fé que os anima é muito semelhante a que levantou mutilados; mulheres vítimas do machismo fariseu; que valorizou crianças que nada valiam para os antigos e medievais;  a dos doentes expulsos das cidades pelo preconceito e a dos pobres, vítimas da aliança diabólica dos poderosos nos tempos do Jesus palestinense, galileu e nazareno.

Essa fé também alicerçou o amor de vocês como casal e como família revolucionária.

Tudo parecia marchar bem na perspectiva de uma sociedade sem exploradores e sem explorados.

Mas eis que veio avassaladora a crise internacional do capitalismo e o golpe de Estado no Brasil. Este podremente cabresteado pelos traidores, antes aparentemente cordeirinhos mansos em nossas proximidades.  

Daí, ao mudar a correlação de forças, com trabalhadores e os pobres iludidos apoiando o discurso moralista do golpe, essa fé parece fragilizar-se e ameaça apagar-se.

O desânimo – perda da alma – dá sinais de se transformar em depressão em muitos de nós. A alma doí, ferida com as decepções.

Pior, o horizonte nem sempre é claro com as ameaças de ressurgimento de messias salvadores. Pelos caminhos da direita despontam Sérgio Moro, na verdade um traidor e entreguista demolidor do País, insuflado pela mídia como tática traçada pelos treinamentos recebidos pelos gringos estadunidenses. Também o nazifascista Jair Bolsonaro se infla motivado pela eleição de Trump nos Estados Unidos. Outros trombeteiros também aparecem nas pesquisas como salvadores e alguns, também sem votos, se candidatam a mostrar nova cara para a elite medíocre e desumana.

Pelo campo nacional e popular temos que cuidar para não sermos novamente arrebatados por algum messias que proponha uma paz romântica que permita a vacas e a leões passearem juntos sem perigo de estes devorarem aquelas.

Crer que a conciliação de classe supondo que a elite, que, como vermes, se alimenta do sangue dos trabalhadores escravizados, permitirá transformações que possibilitem o avanço do povo na ocupação do Estado como aparelho para realização de seus direitos é conto que nem a velhinha de Taubaté acreditaria mais.

Lula insufla entusiasmo nacional alçado por todas as pesquisas sobre candidaturas a presidente, que o colocam como vencedor provavelmente no primeiro turno das eleições de 2018, sem concorrência por parte da direita elitista e golpista.

Mesmo assim me parece que é preciso cuidado respeitoso com nosso País e com a democracia.

Algumas coisas não devem mais acontecer: 1. A conciliação consumista como parte da tática do mercado, que faz o povo mero consumidor; 2. a tal autonomia para o judiciário e para a polícia federal apurar corrupções não deve mais seguir nestes moldes. Afinal, isso é muito sério para entregar o cuidado com o rigor ético com as coisas públicas para inimigos da Pátria, mas amigos de corruptos como Aécio e Temer,  infiltrados para destruir o País e leva-lo à aventura golpista.  3. Também o País não pode mais prosseguir sem as reformas desenhadas na Constituição  de interesse nacional e da classe trabalhadora. 4. Portanto, não cabe mais messias popular, portador da esperança senso comum e romântica, que salvará nosso País do desastre ao qual o golpe o empurra.

Nosso País e nosso povo retomarão e avançarão na esperança perdida, articulando com Lula ou outro, que formule com toda a Nação um programa que una com fortes traços de apoio amplo na sociedade. Isso é tarefa gigantesca coletiva e não para um homem ou mulher portador/a solitário/a dos sonhos de um povo imenso como nós.

Essa missão se antecipa às eleições, passando por mobilizações amplas e unitárias. Unitárias de todo o caudal de movimentos isolados e fragmentados que já acontecem em todo o País.

O projeto que se firmará no candidato nacional às eleições tem que nascer, se definir e amadurecer nas mobilizações de rua para derrubar esse golpe e a quadrilha de Michel Temer. 

Recordo da definição de fé que Hebreus dá e que serve muito bem aos amigos e a todos nós nessa conjuntura: “A fé é um conhecer realidades que não se veem” (1.1).

Daí em diante o documento bíblico exemplifica seu conceito de fé com mulheres e homens que se entregaram a mudar o mundo. “O que mais posso dizer? … Graças à fé, eles conquistaram reinos, implantaram a justiça, alcançaram as promessas, taparam a goela dos leões, apagaram a violência do fogo, escaparam ao fio da espada, extraíram força da sua própria fraqueza, mostraram-se valentes na guerra e expulsaram invasores estrangeiros” (Heb 11, 32-35).

Clique aqui para acessar o Canal CRP no You Tube.  Inscreva-se no Canal. E aqui para curtir nossa página no Facebook.

  • Abraços críticos e fraternos na luta pela justiça e pela paz sociais.
  • Dom Orvandil, OSF: bispo cabano, farrapo e republicano, presidente da Ibrapaz, bispo da Diocese Brasil Central e professor universitário, trabalhando duro sem explorar ninguém.

 

Irmanados no...

Compartilhar:



3 Comentários

  1. […] Fonte: Fé sem ilusão com messias e soluções desesperadas! – CartaS e ReflexõeS ProféticaS […]

  2. Que reflexão abençoada e feliz, meu amigo!
    Gostaria de podermos estar sempre irmanados nesse sonho de justiça e de dignidade para todos!
    Abraços fraternos.
    Marismélia.

  3. Tem uma mensagem oculta nessa materia? Tem alguma coisa haver com o estado de maria na america do sul e o retorno de Pedro ? Desculpe, o incomodo. Obrigado.

Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.
Os comentários expressam a opinião de seus autores e por ela são responsáveis e não a do Cartas Proféticas.