greve-fome

Frei franciscano coordena ato inter-religioso à frente da casa do traidor ministro Edson Fachin

Como repercussão do evangelho de hoje, que coloca a questão do pão como central à vida de qualidade e justa, o frei franciscano Wilson Zanatta, em atitude coerente com a fé cristã,  necessariamente política na defesa dos direitos ao pão  em todas as suas formas existenciais e culturais, coordenou ato inter-religioso em frente à casa do ex advogado dos pobres sem terra, ex defensor da justiça social, o ministro Edson Fachin, que traiu essas causas vendendo-se ao capital e aos poderosos.

A frente da residência do traidor, sustentado com o dinheiro público, o frei e os sete combatentes que fazem greve de fome pressionam a favor de justiça e pela liberdade de Lula, preso injustamente sem provas e sem culpa.

Enquanto o evangelho de hoje foi pregado de modo fútil, irresponsável, espitiritalistica, farisaica, traiçoira e  hereticamente para “alimentar” a acomodação, a preguiça e alienação de milheres de ditos cristãos alheios às injustiças, inclusive o catolicão Edson Fachin, os militantes do MST lutam pela partilha do pão através da reforma agrária justa e com liberdade como parte da busca de justiça.

“O décimo terceiro dia de ato extremo em Brasília foi marcado por uma manifestação diferente. Nas primeiras horas da manhã deste domingo (12), o grupo se instalou em frente à residência do ministroEdson Fachin, na Asa Norte da capital federal, para pedir justiça a Lula e ao povo pobre.

“Acompanhando desde ontem os grevistas, o líder do MST João Pedro Stédile também fez um aparte. “Nós viemos aqui chamar atenção, eles não podem dormir enquanto houver injustiça no Brasil. Para eles saberem que o povo não vai descansar enquanto não libertarmos Lula e todos os injustiçados no Brasil.” Na sequência, todos os participantes gritaram em coro: “Acorda, Fachin! A justiça bateu na sua porta!”.

A grevista Rafaela Alves. do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), pediu a palavra para mandar um recado especial ao ministro Fachin. “O que nos separa aqui de Fachin são muros extremos, absurdos, de classes totalmente diferentes. Me pergunto como o evangelho é tão lido, mas tao pouco compreendido por tanta gente. Quero pedir a Fachin que releia o evangelho, porque há muita gente morrendo por falta de pão, e outros com a mesa tão farta. Que ele busque entender a realidade dos índios, dos quilombos, dos camponeses, dos desempregados.”

Jaime Amorim, Vilmar Pacífico, Zonália Santos, Rafaela Alves, Frei Sergio Görgen, Luiz Gonzaga (Gegê) completam hoje treze dias sem comer.  O integrante da Frente Brasil popular Leonardo Soares está em jejum há seis dias”.

Relato postado na Agência PT de Notícias.

Colabore com o Blog

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com * são obrigatórios *