ramo_podre

General chorão e empijamado, sem querer, mostra as causas do mau cheiro no Palácio do Planalto

Dom Orvandil.

O “seo” Luiz Eduardo Ramos, um galho velho dependurado na árvore podre do milicianismo fascista, é secretário do grosseiro e mal educado Jair Bolsonaro, cargo que a mídia chama de ministério da secretaria de governo, chamou o ninho pestilento e tóxico entorno do miliciano amigo do Queiróz, de serpentário.

Ao mesmo tempo em que mostra que a facada de Adélio Bispo nunca acertou a barriga do mentiroso e ladrão de eleições, mas, na verdade,  abriu as mentes vazias e azedas dos entalados nos crimes e na tração ao Brasil.

No chororô à Folha de S.Paulo o galho empijamado se queixou de que os congressistas não cumprem acordos e que só querem pagamentos e outras benesses em troca de apoio político no Congresso Nacional.

A desonestidade do amigão do miliciano puxa saco de Trump e inimigo do Brasil chega a doer.

O galho em decadência não menciona que tipo de bandidos e de que lado atua a maioria eleita abaixo de muito dinheiro, golpes, mentiras e fake news para ocupar cargos no Congresso Nacional com o objetivo de massacrar a classe trabalhadora.

Não menciona porque o amigo de quem ofende uma adolescente, que é líder mundial,  é incapaz de critica e de auto crítica. Gente suja como esse tal de “seo” Luiz Eduardo Ramos se define a si mesmo e aos seus valores ao confessar e ao se exaltar de ser amigo do atual malandro chefe do executivo desde 1973. Eles nunca, jamais são capazes de cheirar e de ver suas próprias porcarias. Sempre culpam o mundo e os outros.

Dê-lhe cumplicidade e bandidagem, então.

O bufão avalia que os ciúmes e fofocas dos parlamentares e das cobras venenosas, das piores que já se arrastaram pelas salas, corredores dos Palácios e escritórios lamacentos dessa bandidagem que assaltou o governo federal, se deve à proximidade dele ao miliciano amigo do Queiróz. Tipicamente puxa saco, chega até a dizer que essa proximidade provoca incômodo nas outras serpentes que babam veneno.

É o galho velho puxa saco que diz: “aqui tem esse negócio: é um serpentário, quanto mais próximo do presidente, mais você é alvo. Se você me atinge, atinge o presidente”, afirma. “A minha relação com ele incomoda, incomoda aqui dentro do governo.”

Claro, aqui a esta análise não importam as fofocas, onde se enroscam os ramos podres e sujos de um grupo dos mais criminosos e abjetos que já ocupou o governo da república. Disso já se sabia que aconteceria. Os valores e história dos bandidos provindos de ditadura entreguista, cruel, torturadora e assassina indicam o perfil dos galhos podres e mortos que entopem e intoxicam o Brasil.

O que importa à análise não é somente noticiar, mas desossar esse cadáver fétido para mostrar que do sistema que colocou esses abutres no Planalto não se pode esperar nada mais do que isso.

São todos marginais da sociedade, da pátria, da democracia e do povo brasileiro.

Esse preguiçoso chamado Luiz Eduardo Ramos é apenas a vociferação e a foto do que há de mais fétido e em processo de deterioração do Brasil.

Não há mais o que esperar nem do sistema eleitoral, totalmente envenenado e corrompido pelo mercado que fabrica gente como esse delinqüente medíocre, amigo do protetor do criminoso Queiróz.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um comentário

  1. Como observadores atentos devemos perceber como os canalha são galhos podres que cheiram mal ao falarem de si e de seus comparsas. Esse é o caso deste general empijamado, amigo do amigo do Queiróz. Acesse e compartilhe o link do Cartas Proféticas: http://cartasprofeticas.org/general-chorao-e-empijamado-sem-querer-mostra-as-causas-do-mau-cheiro-no-palacio-do-planalto/

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.