bozo_moro

Intelectual comunista define o desgoverno miliciano de Jair Bolsonaro

Por Dom Orvandil

Nem sempre é fácil entender a crise e, dentro dela e para ela, o elenco de fantoches e traidores do desgoverno protofascista de Jair Bolsonao.

O professor, doutor e pós doutor Aluisio Pampolha Bevilácqua, dedica-se a estudo da crise orgânica do capital.

Nosso autor avalia em palestras e livros que a crise de agora oportuniza que aventureiros estilo Bolsonaro, Moro, Guedes e outros instalados no palco da morte em que se constituiu o governo brasileiro, aparecem e se entronizam para enganar o povo,  se aproveitando da onda maléfica arrasa Pátria e humanidade, como a que vivemos.

Importa ás lideranças e quadros brasileiros se prepararem teórica e praticamente para a grande luta por mudanças, que já nos chama para as grandes mobilizações.

Ou superamos a crise derrubando este sistema gerador de crises e de genocídios ou seremos atropelados pela barbárie.

Aluisio é autor do livro que aprofunda o estudo sobre a Crise Orgânica do Capital O Valor, A Ciência E A Educação, Volume I (Fortaleza 2017: UFC Edições e Inverta).

Leia abaixo o texto do Dr. Aluisio Pampolha Bevilacqua, postado em sua conta no Facebook.

O governo protofascista de Bolsonaro e seus militares, de Onyx Lorenzoni e sua bancada da bala, de Paulo Guedes e seus Chicago Boys, de Sergio Moro e sua justiça policial, de Tereza Cristina e seus ruralistas, sob o manto da evangelização anticomunista, constitui-se em uma amálgama de espectros ideológicos, fundamentada em teorias pseudocientíficas e charlatanismo para mascarar os verdadeiros objetivos do governo, que são: institucionalizar o golpe; reduzir a presença do Estado nas áreas sociais, especialmente na previdência; dar fôlego à acumulação interna, mediante a subordinação formal do trabalho ao capital, na concentração de mais-valia e na centralização das empresas públicas e privadas; e transferir essas riquezas para as oligarquias burguesas internacionais através do sistema financeiro – pagamento de royalties, taxas de juros e de câmbio etc. – e dos processos de fusões, aquisições e privatizações, propiciando a transformação de títulos podres ou defraudados em ativos reais, e do Brasil em uma grande lavanderia para o dinheiro sujo internacional. Por último, tornar-se a principal base de apoio dos EUA para sua luta pela hegemonia mundial e por seu domínio sobre a América Latina e África, protagonizando a guerra suja continental através de golpes e ações de baixa intensidade contra nossos vizinhos e irmãos africanos.”

Acesse também e compartilhe:

– Malu Alves descreve a jogatina no uso da Polícia Federal, que virou antro de golpistas.

– A Deputada Gleisi tem razão: Moro – marreco de Maringá – mentiu: ele politizou a PF.

– O marreco de Maringá e traidor da Pátria declarou que não rasgará sua biografia. Qual?

– Os meliantes Bolsonaro assassinariam o marreco discípulo Maurício Valeixo e o marreco mor, Moro, como a outros?

– Igrejas empresas, puxadinhos do mercado explorador e genocida, demitem trabalhadores.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

2 Comentários

  1. "Intelectual comunista define o desgoverno miliciano de Jair Bolsonaro". Ajude-nos a alavancar fortemente o Cartas Proféticas compartilhando somente a chamada e o link desta postagem. Por gentileza, ative também o "notificações" para receber as novidades do blog: http://cartasprofeticas.org/intelectual-comunista-define-o-desgoverno-miliciano-de-jair-bolsonaro/

  2. […] chauvinistas imundos, posto a nota iluminadora do Dr. Aluisio Pampolha Bevilacqua, que publiquei no Cartas Proféticas: “O governo protofascista de Bolsonaro e seus militares, de Onyx Lorenzoni e sua bancada da bala, […]

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.