Gandra fariseu

Ives Gandra, a face de um falso cristão como muitos

O senhor Ives Gandra é ministro da justiça do trabalho,  celibatário,  militante da ordem católica Opus Dei, de teor fascista, reacionário e amado do quadrilheiro MiShel Temer.

Como católico romano se confessa piedoso e piegas, sempre muito apegado ao regrismo dessa ordem de ficha suja no Vaticano.

Porém, seu pieguismo não é salvo conduto para seu falso cristianismo.

O fariseu apoiaria a crucificação de Jesus numa boa,  caso o império romano existisse hoje e prendesse  o galileu irmão dos pobres e oprimidos e lá se colaria  a gritar para Pilatos, ao lado dos seus irmãos de convicção transcendente aos fatos e à verdade: “crucifica-o, crucifica-o, crucifica-o”.

É o que dá a entender  ao reclamar de negros, quilombolas, indígenas e pobres em seu artigo quando escreve barbaridades como essas: “Não Sou: – Nem Negro, Nem Homossexual, Nem Índio, Nem Assaltante, Nem Guerrilheiro, Nem Invasor De Terras. Como faço para viver no Brasil nos dias atuais? Na …verdade eu sou branco, honesto, professor, advogado, contribuinte, eleitor, hétero… E tudo isso para quê?”

Mentiroso, movido sob o impulso do combustível bestial de fariseus como  Deltan Dallagnol, as ditas convicções, que não carecem da verdade comprovada pelos fatos, o famoso jurista reacionário escreve cheio de ódio e preconceito, caluniando os pobres que lutam por justiça através da reforma agrária, ainda letra morta na Constituição e na Declaração Universal do Direitos Humanos:

– “Os invasores de terras, que matam, destroem e violentam, diariamente, a Constituição, vão passar a ter aposentadoria, num reconhecimento explícito de que este governo considera, mais que legítima, digamos justa e meritória, a conduta consistente em agredir o direito”, escreveu o fariseu em 2013 em artigo republicado pelo Estadão neste 16 de novembro,  pondo gasolina nas chamas acesas pelas paneleiras, pelos coxinhas e fascistas no seu ódio contra os programas sociais.

Enfim, esse fariseu se sentiria muito bem com seu falso cristianismo ao lado da gangue das bancadas da bíblia, da bala, do boi, da bola e do nazista Jair Bolsonaro.

Como membro da Opus Dei seria ótimo irmão dos coronéis donos de igrejas, esses que usam os membros  e currais de ovelhas irracionais dessas igrejolas como moedas de troca para a obtenção  canais de TV, de rádio e muito dinheiro para as contas dos pastores mais ricos do mundo.

Ives Gandra, os pastores coronéis, cardeais e bispos apoiadores do golpe quadrilheiro, que sentem anchos ao lado dos poderosos e ricos,  são fascistas, oportunistas, omissos e mau caráter, menos seguidores comprometidos com o projeto de Jesus de Nazaré.

Leia aqui a íntegra do artigo do fariseu.

Colabore solidariamente com o Cartas Proféticas,  que analisa criticamente as notícias, busca os nexos com o todo, com as causas e os efeitos.

Compartilhar:



Um Comentário

  1. os índios são os verdadeiros donos de todas as terras... já estavam aqui quando os invasores e exploradores chegaram... os negros foram caçados e trazidos para serem escravizados pelos "brancos cristãos"... os homossexuais não incomodam a quem respeita o próximo... os guerrilheiros lutaram, morreram ou sobreviveram em busca de um ideal ... os invasores de terras são o fruto do capitalismo que impera no Brasil...
    quanto aos assaltantes... merecem mais respeito do que um homem que diz tantas barbaridades e se diz Cristão...que é branco, se diz honesto, advogado, eleitor, contribuinte (todos somos...pagamos impostos por tudo que consumimos).. hétero (é o que ele afirma).... quanta pseudo cultura... que desperdício de saber....
    lhe falta o essencial... a Alma que o diferencia dos irracionais...
    desculpe Dom Orvandil...pelo desabafo... mas estou revoltada por saber que uma criança desmaiou em sala de aula por falta de alimento... enquanto vemos tanto desperdício e mordomias por essa quadrilha que se apoderou do Brasil, tirando todos os direitos dos menos favorecidos....

Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.
Os comentários expressam a opinião de seus autores e por ela são responsáveis e não a do Cartas Proféticas.