Pacto

Luis Nassif: “Os dilemas do antilulismo”

Em seu blog o jornalista Luis Nassif polariza a rápida marcha do Brasil em direção ao abispo entre o desastre Temer, que é o mais odiado, corrupto e anti Brasil entre todos os brasileiros, e o polo que se forma entorno de Lula em sua caravana pelo Nordeste, que repercute em todo o Pais e no mundo.

Diz Nassif: “Se a situação econômica piorar mais ainda – e não há nada pior que a continuidade da recessão em cima de uma economia já depauperada – se esfumaçará o pesado véu de desinformação montado pela mídia para matar a memória recente da economia. E poderá haver uma debandada geral de políticos e empresários em direção a Lula, por sua capacidade de recriar o sonho e pela obra que já construiu”. (Veja  no GGN).

Na verdade,  já  há em toda a sociedade – esta sim formada de políticos, sempre desconsiderados pelo confuso conceito de que “políticos” são somente os detentores de cargos eletivos – forte deslocamento das mentiras despejadas minuto a minuto, do justiciamento satanizante da prática política por parte de boa parte do judiciário comprometido com o golpe e com os perversos interesses dos Estados Unidos, o verdadeiro ator invisível de todo desastre que aí se precipita.

O que muita gente na própria mídia alternativa e crítica não percebe é que as grandes soluções definitivas não deveriam se dar com migrações e debandadas de grupos de um lado para outro: ora para Aécio e o bando golpista, ora para Lula-Dilma, os salvadores da Pátria.

Uma das causas do caos que vivemos é justamente essa movimentação das moscas, sempre em busca de melhor bolo fecal onde pousar suas garras contaminadas de oportunismo e egoísmos de grupos, geralmente mesquinhos e cegos para o Brasil.

É hora de construir um grande pacto nacional contando com o protagonismo dos trabalhadores, do empresariado nacional, das mentes patrióticas das lideranças partidárias, da academia e de tantos projetos de caráter soberano popular, nacional e emancipacionista libertador da criatividade brasileira.

Esse pacto tem que ser o núcleo de um projeto crescente,  amplo e rápido, recuperando o cerne da Constituição Cidadã, rasgada com o golpe, com toda a riqueza cultural dos grupos realmente brasileiros, agora desprezados e marginalizados em direção à fome e à criminalidade.

Daí sim ganhar as ruas com o legítimo “fora, Temer”, mas com o indicativo de rumos.

Compartilhar:



Um Comentário

  1. […] 3. Há pessoas e grupos que debatem corretamente o projeto de Brasil, mas sem mídia e sem articulação, não conseguem se aliar com o povo (Leia mais aqui). […]

Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.
Os comentários expressam a opinião de seus autores e por ela são responsáveis e não a do Cartas Proféticas.