kit gay

Mentiras sobre o tal “kit gay”

O canidato Jair Bolsonaro tem lido o versículo de João 8, 32 “conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” para, mesmo assim, fazer uma campanha carregada de mentiras.

É impressionante que chefes e donos de igrejas sejam agentes de mentiras usando e abusando de boatos e calúnias contra coisas que nunca se realizaram nos governos Lula e Dilma e que aconteceu não divulgam.

Alunos e alunas evangélicos/as em sala de aula reproduzem as mentiras ditas em suas casas e nas igrejas. Repetem e repetem sem consultar fontes, sem pensar e sem perguntar nada sobre as origens e significados das coisas que papagaiam.

Pois uma das mentiras é o tal de kit gay, que nunca existiu. A jornalista Maria Frô postou em sua página no Facebook os desmentidos feitos por Silvia Amélia, de forma bem fundamentada e simples, sobre as falsidades que se expalham a granel e de forma criminosa sobre coisas que nunca aconteceram.

Veja abaixo o texto bem elaborado de Sílvia Amélia. 

Colabore com o Blog

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O ”KIT GAY”

1) Nunca existiu algo chamado ”kit gay” em nenhum governo.

2) Em 2011 foi encomendado e produzido um material chamado ”Escola sem homofobia”. Mas setores conservadores do Congresso protestaram e esse material NUNCA chegou a ser entregue nas escolas. Repetindo, não foi entregue, então tudo o que se diz que chegou até uma escola como sendo um ‘’ kit gay’’ do governo federal é mentira.

3) Mas vamos entender melhor o que aconteceu, se tem alguma verdade nas Fake News sobre o assunto que todo mundo já recebeu. Fernando Haddad era Ministro da Educação no momento? Sim, ele era. Veio do MEC a ideia de produzir o material? Não. Foi a Comissão de Direitos Humanos da Câmara que fez a proposta e o Ministério Público que cobrou do MEC tomar a providencia. E então o MEC contratou uma ONG especializada no assunto para produzir o material.

4) Agora vamos entender como isso virou um escândalo. Enquanto o material ainda estava na mesa do Haddad para a aprovação políticos conservadores como Magno Malta e Garotinho começaram a espalhar mentiras. Destacando: eles inventaram coisas sobre algo que eles não conheciam e não sabiam do que se tratava já que o material ainda estava em fase de aprovação.

Uma das primeiras estratégias foi pegar um material produzido pelo Ministério da Saúde para caminhoneiros e prostitutas sobre prevenção da AIDS e outras DSTS e espalhar que aquilo era o material do MEC para as escolas. Claro que a linguagem desse material do Ministério da Saúde era inadequada para crianças já que servia a outro propósito.

5) Como essa história termina? No ano seguinte, quando Dilma assumiu a presidência, diante de toda a confusão, ela simplesmente vetou o material. Que nunca chegou a nenhuma escola.

6) Mas novas mentiras sobre o que seria esse kit gay surgem a todo momento. O que acontece é que existem inúmeros materiais sobre educação sexual para crianças e adolescentes que são produzidos por editoras comerciais e vendidos em livrarias do Brasil e do mundo para os pais e as mães que quiserem comprar.

Só que pessoas mal intencionadas compram algum desses livros que consideram ”inadequados” e fazem vídeos falando que aquele livro foi distribuído pelo governo num kit gay para crianças pequenas. Mas não foi. Repetindo, todos os materiais do projeto Escola sem Homofobia, devido à pressão conservadora, nunca foram levados até as escolas.

Importante destacar que o livro mostrado pelo Bolsonaro no Jornal Nacional NUNCA foi distribuído pelo MEC. O livro foi publicado no Brasil pela Companhia das Letras. Bolsonaro sabe que não se trata de material do MEC, ele já foi por diversas vezes alertado sobre isso. Ele mente porque sabe que funciona, sua popularidade aumenta a cada vez que ele se mostra indignado com algo que ele mesmo sabe que é mentira.

7) Mas afinal de contas o que tinha nesse material Escola Sem Homofobia? Que ótimo que você se perguntou isso. Neste link você pode ver os três vídeos, a cartilha voltada para os professores e os materiais deste projeto que, lembrando, nunca chegou até as escolas. Leia, assista e tire suas conclusões.
https://novaescola.org.br/…/conheca-o-kit-gay-vetado-pelo-g…

8.) Se você pegar o material para analisar vai ver que ele não contém nenhum tipo de pornografia. Uma das mentiras divulgadas sobre ele é um desenho de dois adolescentes tendo relações sexuais. Isso é uma invenção maldosa, aquela ilustração jamais fez parte deste projeto.

9) Esse material, que nunca chegou a se distribuído, era voltado para adolescentes e pré adolescentes, alunos de ensino médio e segunda etapa do fundamental, não para crianças pequenas, da educação infantil ou primeira etapa do fundamental (antigo primário). O objetivo era ensinar o respeito e combater a violência homofóbica muito comum nas escolas brasileiras.

10) Os materiais do Escola sem Homofobia não tinha nenhum tipo de objeto erótico, nada de ‘‘mamadeira com bico em formato de pênis para ser distribuído para crianças de 6 anos alunas de creches’’. Gente, pelo amor de Deus, como vocês acreditam nisso? Crianças de 6 anos não usam mamadeira, não estudam em creches e NINGUÉM viu esse objeto em nenhuma escola ou creche do Brasil. Isso é uma das mentiras mais toscas já inventadas e infelizmente milhões de pessoas acreditaram.
.
Fora esses esclarecimentos, também queria dar uma dica. Desconfiem dos vídeos que recebem por whatsapp. Qualquer pessoa pode pegar qualquer livro vendido em livraria ou pela internet e se gravar folheando e falando que aquilo foi distribuído pelo governo, qualquer pessoa pode pegar um brinquedo erótico e falar que aquilo foi entregue nas escolas. Sem citar em qual escola, de qual cidade, e sem mostrar o próprio rosto ao fazer esta falsa denúncia.

Se você não gosta de mentiras, pesquise um pouco sobre as correntes que recebe para evitar repassar mentiras pra frente.

Temos tanto a nos indignar em relação ao país, ao governo e aos problemas na educação, não vamos perder energia gritando contra o que não existe.

(Silvia Amélia).

 

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com * são obrigatórios *