constituição-estupro-violência

Nossa Constituição rasgada e prostituída

O jornalista e escritor Ribamar Fonseca, apesar de sua linguagem de bom moço, demostra em artigo que não temos mais uma Constituição.

Em sua coluna no site Brasil 247 Ribamar denuncia que a presidenta Carmem Lúcia foi demagoga ao lembrar o aniversário de nossa Carta Magna, transcorrido no dia 29 de setembro, lembrando do grande dia de 1988 quando Ulysses Guimarães encerrava a Assembleia Constituinte entregando ao Brasil a Constituição cidadã.

Em 2016, no entanto, canalhas e corruptos a prostituíram nos balcões de negócios do Congresso Nacional ao aprovarem um impeachment como golpe de Estado.

Daí em diante o judiciário, inclusive o STF presidido pela senhora Carmen Lúcia, se omitiu e com sua covardia endossa a prostituição da Constituição.

Em outras esferas, como a de Sérgio Moro, o juiz que abriu mãos de provas, da ciência honesta em busca da verdade que faz justiça, criou suas próprias e safadas leis para destruir o Brasil e a resistência do povo brasileiro.

Congresso, judiciário, governo, mídia e a elite capitalista do Brasil se juntaram para decretar uma constituição marginal que proteja a concentração de riquezas e de rendas nas mãos de 1% de calhordas, injustos e desonestos que roubam e ajudam a roubar o Brasil dos brasileiros.

Já no seu artigo, numa linguagem indignada e sem esconder a postura que devemos tomar ante o estupro da Constituição e do Brasil,  o filósofo Gustavo Castañon denuncia a destruição do Estado pelos canalhas do senado que compõem a Comissão de Constituição e Justiça ao aprovarem o fim da estabilidade do funcionário público.

Sem falsas esperanças nos golpistas Castañon afirma claramente que “não cabe qualquer ilusão de que o projeto possa ser barrado. Este congresso é movido a dinheiro de um governo que entrega todo o Estado brasileiro para se manter mais um mês” (leia a íntegra do artigo aqui).

O estupro de nossa Constituição e aniquilamento do Estado brasileiro dá-se da mesma maneira como se nossa casa fosse invadida por marginais dispostos a rasgar os nossos documentos e estuprar os moradores.

Pior, ante a omissão dos próprios moradores que se calam, não lutam, não brigam pelos seus direitos, que não barram o estupro nem a violência às suas identidades documentadas.

Os marginais e estupradores fazem tudo o que querem com o apoio dos invadidos e violentados, num verdadeiro pacifismo covarde, desmobilizado e imoral.

Colabore com o Cartas Proféticas que analisa as notícias, busca os nexos com o todo, com as causas e os efeitos e critica  propositivamente.

Compartilhar:



2 Comentários

  1. […] Fonte: Nossa Constituição rasgada e prostituída – Cartas Proféticas […]

  2. "...Certa vez eu percebi que esses sonhos, esses delírios, esses devaneios, podiam se tornar realidade e até começaram a virar verdade. Só que acabou. Mas, noite após noite, o cara continuava a sonhar. Ele sonhava, assim como eu, todas as noites. Ele sonhava demais. Mas nem tanto assim. Trabalho, comida, casa, roupa, escola, saúde, transporte, vida. Nem é tanto assim. Nem tão exagerados eram seus sonhos, ainda que devaneios alucinados possam parecer a tantos. Nem é tanto assim, ainda que delirantes e extravagantes. Nem é tanto assim.

    Sonhar ainda pode. E eu sonho. Sonho todas as noites. Sonho muito, sonho demais. Mesmo que não seja tanto assim. EU SONHO DEMAIS. TODA NOITE EU SONHO.

    Amor, compaixão, solidariedade.
    Felicidade. Sempre."


    "EU SONHO DEMAIS. TODA NOITE EU SONHO."
    > https://gustavohorta.wordpress.com/2017/10/09/eu-sonho-demais-toda-noite-eu-sonho/


    #GloboMente pracarai

Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.
Os comentários expressam a opinião de seus autores e por ela são responsáveis e não a do Cartas Proféticas.