7º dia

Com bênção profética o padre Vilson Groh, na missa de 7º dia da morte do reitor, pede luta contra o Estado de exceção

Este blog  é simbolicamente profético no sentido de que seu editor participa ativamente da luta de nosso povo contra a opresão; de que denuncia a opressão nas suas múltiplas, variadas e cruéis manifestações no massacre  dos/as pobres, dos/as trabalhadores/as, da justiça social e da democracia inclusiva, mas sempre com a esperança de caminhos desbravados pelos/as que lutam.

Apesar da imensa tristeza pelo luto que nosso País vive sob o golpe dos canalhas e perversos, que também se abateu sobre o reitor Luíz Carlos Cancellier Olivo, da UFSC e de sua família, mesmo discordando da  caminhada dele dos últimos anos, que acabou por fazê-lo  vítima do Estado policialesco, este blogueiro se solidariza com a indignação que se eleva a partir do martírio do Cancellier.

O padre Vilson Groh foi abençoada e indgnidamente profético nas palavras que pronunciou antes da bênção ao final da missa.

Por isso postamos abaixo a notícia e o vídeo demonstrativos do ambiete de luto mas de indignação na missa de 7º dia.

Esse ânimo precisa tomar conta de todo o Brasil.

Colabore com o Cartas Proféticas que analisa as notícias, busca os nexos com o todo, com as causas e os efeitos e critica  propositivamente.


247 – A missa de sétimo dia da morte do reitor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Luiz Carlos Cancellier, realizada na última segunda-feira (9), em Florianópolis, foi marcada por um pedido feito pelo padre Vilson Groh para que a população lute contra o “estado de exceção” que vem sendo implantado no Brasil.

“Que a gente não vá para casa e fique no divã. Nós fomos convocados a lutar e a romper com esse estado de exceção”, disse o pároco. Segundo ele, é preciso lutar para manter a “garantia dos direitos humanos constitucionais construídos historicamente com muito sangue e luta de muita gente”.

O padre pediu, ainda, que a população lute por uma universidade cada vez mais pública, aberta aos mais pobres, e não-privatizada, além de pedir que as pessoas não deem trégua a todos os processos de injustiça. “Façam uma resistência gentil, mas firme contra o Estado de Exceção instaurado no país”, destacou.

Veja a íntegra da fala do padre Vilson Groh, em vídeo divulgado pelos Jornalistas Livres:

Compartilhar:



Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.
Os comentários expressam a opinião de seus autores e por ela são responsáveis e não a do Cartas Proféticas.