velho_fascista

O ar empestado pelo miliciano Bolsonaro faz de um velho no fim da vida atirador cheio de ódio, disposto a matar gays

Por Dom Orvandil. 

Os fatos que se encadeiam e se sucedem no ambiente social brasileiro não apenas obedecem a ímpetos pessoais e individuais de mau caráter, psicopatia e paranoia. Mas se explicam a si mesmos por uma única causa motriz.

Leia também e compartilhe: "A mídia boa moça trata o miliciano Jair Bolsonaro como um governo perdido e não como golpista, fascista, traidor e assassino"

O fato de um velho de 89 anos, aposentado, que poderia fazer muito mais pela sabedoria e pela concórdia social, mostra que as ameaças aos gays e os tiros num dos moradores do prédio marcado pelo sangue dos tiros disparados, emergem de uma única a causa: a dos preconceitos, do racismo, do machismo, da humilhação e destruição do outro  neste processo fascista neoliberal.

Adel Abdo, um velho de 89 anos, com quase um século de vida, demonstrará nas investigações e depoimentos que tipo de história viveu até aqui, mas ao afirmar que “veado tem que morrer” estabelece não somente que tipo de placa gostaria que os parentes grudassem na tumba dele, mas uma marca provável de toda uma existência de ódio, que vem à tona com o impulso do miliciano Jair Bolsonaro.

Como acontece com o fascismo, que faz de seus militantes agentes e juízes dos outros, o morador de um prédio no centro de São Paulo, se avaliou como júri, polícia e executor de pena de morte, que não existe no Brasil.

O homofóbico, preconceitouso e violento, alvejou a bala o contador Rafael Dias, de 33 anos, com três disparos de arma de fogo,  simplesmente pelo fato de ser gay – ao menos é o que informam as testemunhas.

Igor Fernandes, amigo de Rafael, informou que o jovem promovia uma festa em seu apartamento no bairro da República, no centro de São Paulo, quando o quase centenário  Adel Abdo, de 89 anos passou a ofendê-lo na tentativa de humilhá-lo e desmoralizá-lo. Premeditando uma chacina o velho violento dissera  que iria “meter bala” nos convidados da festa, que “veado tem que morrer” e que não queria “gay no prédio”. Uma testemunha declarou que “para ser sincero, a confusão só começou porque era uma festa com pessoas gays”.

Cumprindo as ameaças e as ofensas homofóbicas, Abdo esperou o dono do apartamento na entrada do prédio e disparou três vezes. Um dos tiros explodiu no rosto de Rafael Dias, que foi levado imediatamente a um hospital  e submetido a cirurgia.

Em tempos de pressão miliciana e fascista, o rancor, o ódio, a homofobia, o machismo, a afrofobia e tudo que se refira ao outro,  que não se enquadra no figurino fundamentalista e fascista, encontra motivos e impulsos no ar pestilento e corrosivo progandeado pelo fundamentalista de araque Jair Bolsonaro.

Esse tipo de gente, como esse no fim da vida, que se sente estimulado a atirar 3 vezes num ser humano, profissional, lúcido e bom só pelo fato de ele ser gay, independente de idade, como tantos outros abusadores adolescentes, jovens, adultos, homens e mulheres se imaginam instituições empresariais meritocráticas, capazes de tomar decisões da caráter moral até na eliminação dos diferentes porque não suporta a diversidade.

Como escreve a Filósofa Marilena Chaui, o fascismo é neoliberal, como tal é totalitário, sempre agindo como bombas relógios, prontas a acionar gatilhos para esparramar estilhaços da morte em todas as direções.

“O totalitarismo é a afirmação da imagem de uma sociedade homogênea e, portanto, a recusa da heterogeneidade social, da existência de classes sociais, da pluralidade de modos de vida, de comportamentos, de crenças e opiniões, costumes, gostos e valores”, escreveu nossa filósofa (leia aqui o texto integral).

Cada fascista neoliberal é um eixo empresarial girando entorno de sua própria estupidez, egoísmo e falsa valentia de dedos sempre prontos a puxar os gatilhos das armas, que matam como pena de morte no extermínio da diversidade.

A solução no enfrentamento dessa ruptura social e política das relações coletivas e cidadãs só acontecerá pela única via justa, a da grande e inevitável mobilização organizada do povo brasileiro, em cujo vácuo cresceram os joios fascistas e neoliberais.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

4 Comentários

  1. Análise das razões que levam um velho de quase 100 anos desparar 3 tiros num jovem somente porque ele é gay. Acesse e compartilhe o link do Cartas Proféticas: http://cartasprofeticas.org/o-ar-empestado-pelo-miliciano-bolsonaro-faz-de-um-velho-no-fim-da-vida-atirador-cheio-de-odio-disposto-a-matar-gays/

  2. Numa onda continua de perseguição ao Cartas Proféticas o Facebook mais uma vez impediu o compartilhamento desta postagem. Outros sites também nos atacam e tentam nos sombrear. É importante sua solidariedade em forma do compartilhamento desta postagem com todos os seus contatos e redes sociais. Muito obrigado! Acesse e compartilhe o link do Cartas Proféticas: http://cartasprofeticas.org/o-ar-empestado-pelo-miliciano-bolsonaro-faz-de-um-velho-no-fim-da-vida-atirador-cheio-de-odio-disposto-a-matar-gays/

  3. […] A psicologia de galinheiro de Gustavo Bebianno é mais um papo furado para aliviar o miliciano Bolsonaro - Cartas Proféticas em O ar empestado pelo miliciano Bolsonaro faz de um velho no fim da vida atirador cheio de ódio, disp… […]

  4. […] Gritando por socorro lutador é assassinado de madrugada ante o silêncio cúmplice de moradores de um prédio. Revoltante! - Cartas Proféticas em O ar empestado pelo miliciano Bolsonaro faz de um velho no fim da vida atirador cheio de ódio, disp… […]

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.