farsa_desmascarada

O chororô espetaculoso da bolsonariana Fátima Montenegro

Por Dom Orvandil.

Aqui no Cartas Proféticas não julgo as pessoas. Tenho profundo respeito por todas. Também não odio nem ataco as reputações pessoais. Esta é prática de fariseus, da direita, do milianismo e do fascismo com o objetivo de destruir os diferentes e divergentes. Eles não sabem e não querem analisar, estudar e dialogar.

Ao tratar de pessoas, como o fiz com o pilantra e comerciante Silas Malafaia, enfrentei e analisei a postura injusta, hipócrita e ofensiva ao povo brasileiro por parte do dono da Igreja Assembleia do Diabo Derrota em Cristo capitalista.  

No caso da “dona” Fátima Montenegro, moradora de Brasília num setor de elite, micro empresária e militante fascista de apoio ao miliciano Jair Bolsonaro, é bom que analisemos o teatro de baixa qualidade do qual foi atriz muito ruim.

Não cabe perguntar se a atriz de meia pataca, ao comparecer nos shwozinhos de seu ídolo protofascista Jair Bolsonaro, e pedir intervenção militar obrigando o funcionamento do comércio, o fez em combinação com o tresloucado ou com algum grupo de apoio ao mentiroso.

Também não importa se “dona” Fátima mentiu sobre necessidades pessoais dela e da filha por não movimentar os seus negócios nem de conhecermos onde mora nem sobre sua renda.

O que importa aqui é entendermos que “dona” Fátima, ao mentir e ao falar sobre os interesses pessoais dela,  demonstra o mesmo egoísmo burguês apodrecido do gado escravocrata que faz carreata em carros luxuosos, longe do vírus, pressionando os trabalhadores, cujas vidas para essa casta estúpida não vale absolutamente nada.

“Dona” Montenegro, como toda tropa bolsominion, afronta o povo, o país, as vidas dos trabalhadores com seu discurso medíocre centrado  seu umbigo como eixo do Brasil.

Ao mentir  sobre sua situação econômica, com a qual a opinião pública não tem nada a ver, ‘dona” Fátima Montenegro se inscreveu no troteio maluco dos que fazem política à base da mentira. Para esse trote desvairado, a realidade não tem a menor importância nem interessa aos mentirosos e cínicos vigentes.  

Ignorante  de que seu delírio a introduziu na cena de luta de classes, não adianta a “dona” medrosa fazer chororô e registrar BO por ser atacada de longe  pelas redes sociais e pelo what’s app dela, que era público.

Quando pediu ao desvairado mor que colocasse tropas militares nas ruas, recebendo dele o irresponsável respaldo com afirmação de que  “a senhora pode ter a certeza de que fala por milhões de brasileiros”, a chorosa Fátima representou a idéia de jerico de apoiadores do desastre nacional e da derrota do povo brasileiro com as eleições golpistas, manipuladas pelos Estados Unidos, por Israel e pelo grandes monopólios. Tanto que o vídeo com a manifestação rasteira e caolha movimentou as redes sociais, com prós e contras.

Finalmente,  a “dona” Fátima Montenegro, que se afirmou professora, como tal é tremendo mau exemplo no estilo subinteligente da linha escola sem partido. Aliás, tem partido sim, o fascismo e o neoliberalismo, subjacentes covardes da destruição da educação e do futuro do Brasil.

Dizendo-se professora a  miliciana rebaixa nossa categoria, embora nela existam muitas Fátimas rasteiras, míopes ideológicas, pessoas que fizeram cursos superiores sem estudar, fazendo apenas o mínimo que as conduzissem ao diploma.

Essas Fátimas são traiçoeiras com colegas, alienadas na defesa da classe,  fofoqueiras contra os alunos e alunas, ao invés de estudá-los, compreendê-los e de ajudá-los. Fazem da docência o mesmo que mugiu “dona” Fátima ao miliciano traidor da Pátria, sem reflexão, sem solidariedade e sem compreensão da realidade econômica crítica, que a todos atinge.

Dizer que “não quero que o governo banque nossa vida, isso é para vagabundo. Abre esse comércio”, disse “dona” Fátima ao jornalista Fábio Fabrini, da Folha, a militante analfabeta política ofende gravemente os trabalhadores, aos em situação de rua, aos favelados, aos atingidos pela desgraça da tal reforma trabalhista, os milhões de trabalhadores na informalidade. Além disso, de forma desumana e cruel, como convém a qualquer neoliberal fútil e escravocrata do mercado, minimiza a missão do Estado, o de amparar toda a sociedade em face dessa pandemia, querendo fazer música aos ouvidos moucos do miliciano presidente.

Em face de toda essa barbaridade do baixo espetáculo protagonizado, honestamente,   não creio na sinceridade do chororô de “dona” Fátima quando afirma se dizer arrependida e assustada. “Quero proteção, estão me ameaçando. Destruíram minha vida só por causa de um vídeo. Por causa de ideologia”​, disse chorando  numa delegacia em Brasília.

Tomara que “dona” Fátima Montenegro, em meio ao seu alegado choro de medo e arrependimento  entenda que ao lado e em apoio ao protofascista Jair  Bolsonaro não é lugar nem postura para nenhuma pessoa justa e democrática.  

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um comentário

  1. "O chororô espetaculoso da bolsonariana Fátima Montenegro". Ajude-nos a alavancar o Cartas Proféticas compartilhando com o maior número de contatos e grupos somente a chamada e o link desta postagem: http://cartasprofeticas.org/o-chororo-espetaculoso-da-bolsonariana-fatima-montenegro/

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.