família pela liberdade

O fiasco e a vergonha da marcha da família com Deus pela liberdade

Em carta à minha amiga Beatriz Cristina Santos de Souza analiso a inconsistência e a vergonha das bases de sustenção da fúria e do ódio dos ditos cristãos defensores de Jair Bolsonaro.

Não dá para denominar de argumentos o que dizem para justificar a candidatura fascista, carregada da história de destruição da paz na convivência entre as pessoas e os povos. O “argumento” de que Bolsonaro é a via contra o comunismo é tão fútil quanto os que o defendem.

A questão comunista como projeto político  de eliminação das classes e entrega dos meios de produção ao povo é completamente fora de propósito e de conjuntura, além de colocação plena de preconceito e de ignorância.

Nunca houve comunismo em país algum. Nem mesmo o projeto do socialismo como ditadura do proletariado se coloca nesse momento. Não há correlação de forças para a revolução socialista. Ninguém na esquerda vislumbra essa possibilidade.

Ao falar em comunismo em Cuba, Venezuela, RPDC e outras, além de ignorância com o que se passa em outros países, é pura má fé e tática política mentirosa para assustar e enganar os ignorantes.

Confundir o respeito com as diferenças individuais e sociais como homoafetividade, homoxessualidade e culturais com comunismo é triplicamente ignorante, burrice e de tremenda má fé para enganar. Não haverá comunismo no planeta sem que antes três terços dos países sejam socialistas, como ensinou Karl Marx, isto como ditadura do proletariado exercida pela ideologia da classe trabalhadora através do Estado, que desapropriará as propriedades privadas para torná-las coletivas.

E onde há essa possibilidade em pleno capitalismo? Quem é o louco que afirma isso?

Da mesma forma dizer que Lula é comunista, que o PT é comunista, que o MST também o é –  esta organização que luta por reforma agrária no interior dos marcos capitalistas – enfim, dá atestado de ignorância por nunca lerem os estatutos daquele partido e por não saberem nada do ex presidente que é tudo, menos comunista.

Dá para afirmar sobre os cristãos conservadores, de direita e fundamentalistas, que apoiam Jair Bolsonaro que eles fazem o mesmo fiasco e se colocarão na história da mesma forma que os participantes da preconceituosa, racista, fascista, atrasada, estúpida e burra  “marcha da família com Deus pela liberdade”.

Aquilo desembocou na sagrenta ditadura empresarial-militar em 1964,  que acabou matando muitos dos filhos das marchadeiras histéricas e fanáticas.

Deus, liberdade e  família da macrha daquele bando de ditos católicos não passaram de palavras jogadas em faixas e cartazes  como mote de mobilização para uso dos golpistas a favor dos Estados Unidos, que se achavam donos do Brasil como se fosse seu quintal.

Outros tantos emergiram daquela marcha como bandidos covardes que mergulharam nos porões com sangue, baratas e ratos para torturar e matar a todas as pessoas que ousaram divergir da ditadura sanguinária. Inclusive capelães militares, pastores, bispos, padres e vários ditos cristãos insanguentaram suas mãos e almas com as troturas e mortes de inocentes, matando crianças, bebês, mulheres e idosos, sem piedade, tudo em nome de fanatismos mentirosos. Muitos deles viveram infernos de culpa que se suidaram.

É para isso que serve o fanatismo fundamentalista. É esse o sentido final dos ditos cristãos que apoiam hoje coisas esdrúxulas como Jair Bolsonaro.

Clique abaixo no linque para a referida carta.

Colabore com o Blog

Decepcionantes, incompreensíveis, dolorosos e contraditórios os cristãos eleitores  de Jair Bolsonaro

Um comentário

  1. Parece um imbecil , manipulador.
    Só ele tem a verdade

Deixe uma resposta