zumbi_palmares

O miliciano Bolsonaro apaixonou-se por negro da alma colonizada, que quer assassinar Zumbi novamente

Por Dom Orvandil.

Pensando bem, o miliciano Jair Bolsonaro só foi e é mito para as pessoas mais miseráveis intelectualmente, que são vazias ou de mentes cheias coliformes fecais como o seu messias.

O raivoso amigo de Queiróz sempre foi esse psicopata explosivo, mas covarde marcado por uma vida cheia de fugas e de recuos, sem nenhum bem feito à humanidade.

Uma das últimas dele é a paixão pelo negão que nomeou para a Fundação Zumbi dos Palmares.

Depois de uma visita ao miliciano no Palácio do Planalto, certamente eivada de muita bobagem, ódio e racismo, o negro de alma colonizada e vendida aos mercadores, o tal jornalista eticamente indigente Sérgio Nascimento de Camargo, recebeu do morador da casa 58 Condomínio Vivendas da Barra uma declaração  de amor: “excelente. Gostei muito dele”.  Pois é, quando miliciano gosta de alguém é porque há enxurradas de ligações amorosas girando entorno de interesses dos mais bárbaros e sórdidos entre os dois.

A paixão branquela vem do mesmo que se envolve na matança de indígenas; do pai do deputado miliciano que declara aos jovens pobres e negros de Paraisópolis que se não querem morrer pelas balas da polícia assassina de João Dória que freqüentem outros lugares; paixão do candidato que declarou a judeus ricos e racistas que os quilombolas pesam como animais, tendo como medição as arrobas; do miliciano covarde que usa da mídia para atacar uma adolescente líder mundial como Greta, por puro ódio e ciúme, já que ele não vale nada porque some na própria miséria de sua excrescência.

. Portanto, a alma desse negro foi entregue ao demônio do fascismo racista e da guerra.

Do lado do negro da alma vendida aos mercadores, isto é, à classe dominante, como ato mais profundo de traição às suas origens,  onde se movem seus originários agricultores e explorados, há o próprio irmão que o define de modo contundente e chocante ao declarar na  conta dele no Facebook que “tenho vergonha de ser irmão desse capitão do mato”.

Segundo a Revista Fórum, a nova paixão  do miliciano Bolsonaro diz literalmente de sua traição de classe e etnologia: “Camargo é contra o dia da Consciência Negra, já disse que a atriz Taís Araújo deve voltar para a África e afirmou que a escravidão foi boa porque negros viveriam em condições melhores no Brasil do que no continente africano. “Merece estátua, medalha e retrato em cédula o primeiro branco que meter um preto militante na cadeia por crime de racismo”, escreveu o novo presidente da Fundação Palmares” informou a redação.

Felizmente os movimentos sociais agem e resistem à tentativa de matar novamente o grande líder libertário Zumbi e de apagar a chama revolucionária quilombola dos Palmares.

É preciso resistir e aumentar a mobilização, unindo mais esta chama que não se apagará,  por mais que o fascismo do Planalto e a traição de negros traidores da classe trabalhadora,  que nasce da escravatura e precisa se libertar das mazelas do capitalismo, fonte  das crostas sujas onde se grudam para servirem de alimento a porcarias nojentas como Jair Bolsonaro e traidores da pior espécie como Sérgio Nascimento de Camargo.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um comentário

  1. O miliciano Bolsonaro apaixonou-se por negão traidor que vendeu a alma ao diabo. Acesse e compartilhe o link do Cartas Proféticas: http://cartasprofeticas.org/o-miliciano-bolsonaro-apaixonou-se-por-negro-da-alma-colonizada-que-quer-assassinar-zumbi-

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.