mriam_nojo

O nojo de Míriam Leitão por Jair Bolsonaro

Dona Míriam Leitão, jornalista da Globo, que faz comentários sobre economia sem nada entender dessa ciência, que foi militante do PCdoB durante a ditadura imperilista-nazista-militar,  mas nega na prática o cerne de sua luta ao ser uma das agentes mais nefastas do neoliberalismo como empregada, cega e surda da empresa de comunicação mais suja do Brasil, agora se sente enojada com o miliciano e fascista Jair Bolsonado.

Talvez chateada por ser debochada pelo facínora golpista ocupante da presidência da república, quando, graças aos seus sempre conhecidos impulsos nazistas e assassinos, Bolsonaro debochou dela ao dizer que teve pena da cobra jibóia na sala onde a jornalista de araque esteve presa.  Miriam, no entanto, esquecida  de que ajudou a pavimentar os caminhos do golpe,  refresca sua desmaiada memória de lutadora.

Em seu blog apontou a contradição dos militares, que por décadas negaram prisões, torturas e assassinatos, mas com um dos seus piores membros, o mais imbecil, iletrado, analfabeto e estúpido, que ocupa a presidência graças a golpe de Estado e eleições roubadas do povo brasileiro, revelam saber dos mortos atingidos pelos esquadrões da morte dos porões da ditadura.

Certamente,  como mãe torturada grávida, que poderia ter sido assassinada juntamente com o filho ainda no útero, Miriam se emociona ao apontar a crueldade, falta de respeito e desumanidade do idiota inútil mor ao declarar, sem a menor vergonha na cara, sem traços mínimos de decoro para ocupar o cargo máximo da república, que usa trair o Brasil e a honra nacional, afirma repulsivamente  que sabe como foi assassinado o pai do presidente da OAB, o advogado Felipe Santa Cruz.

Leia também e compartilhe: Anápolis, a cidade que mais cresce no Brasil.

A aliada do mercado, a neoliberal fanática, não deixou de relacionar outros assassinatos ocorridos pelo Estado nazista ocupado por traidores, torturadores e assassinos.

Duas observações devem ser feitas sobre o nojo que Míriam Leitão sente com as palavras e atitudes do miliciano que encabeça a destruição do Brasil: 1. Que o nojo que ela sente, o mesmo sentido por Ulisses Guimarães ao declarar ódio e nojo dos torturadores quando proclamou a instituição da nova Constituição, a carta Magna que a jornalista tanta faz para destruir, é o mesmo que todos os patriotas brasileiros sentem por essa excrescência que ela ajudou a colocar no Palácio do Planalto; 2. Que o nojo que a empregada da Globo demonstra não significará nada se ela não romper  com os próprios erros ao ajudar com seus comentários nojentos, abusivos e estúpidos em defesa do mercado, que só faz isso pelo Brasil: dar ditaduras, golpes e destruição de tudo o que buscávamos ser.

Claro, o nojo de Míriam Leitão é notável e bem vindo, embora desonesto, como o de todos os fascistas e agentes golpistas que se renderam a Sérgio Moro como a Eduardo Cunha, que  no memento em que o país afunda no abismo, com as ratazanas pulando fora sem nada fazer para salvar a tripulação de uma viagem suicida, que gente como Míriam ajudaram a fazer.

Vem para cá para o lado do povo e do Brasil, Míriam Leitão, recupera tua história ou, então, vai plantar batatas com os teus ratos amados e para de tentar audiência com as imbecilidades do idiota inútil.

Acesse, veja e compartilhe: Cidadania: “Com Prof. Adelmar Santos de Araújo: educação pública”.

Leia e compartilhe, também:  Um conflito ancestral entre filhos do mesmo pai.

Uma política comercial autofágica.

2 Comentários

  1. Miriam Leitão tem que fazer muito mais do que sentir nojo do facínora Jair Bolsonaro. Acesse e compartilhe somente o link do Cartas Proféticas:http://cartasprofeticas.org/o-nojo-de-miriam-leitao-por-jair-bolsonaro/

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.