Ódio ao Papa Francisco

O Papa Francisco sofre perseguição e guerra de católicos romanos comprometidos com o que há de pior no mundo

O jornalista Andrew Brown do jornal inglês The Guardian elabora reportagem instigante,  preocupante e contraditória sobre o Papa Francisco.

Publicada pelo site português “Público” a matéria fotografa o Papa Francisco com admiração em face dos seus esforços pela paz num mundo dilacerado pelas guerras sanguinárias do imperialismo.

Também alinha os esforços de Francisco nas denúncias da crueldade dos desterros de milhões de pessoas – crianças, mulheres, homens e velhos – e na exortação pelo acolhimento por parte dos países buscados pelos expulsos de suas pátrias pela ganância e ambição destrutiva  das matérias primas pelos Estados Unidos e sua OTAN assassina.

Francisco visitou  o Brasil em pleno início das manifestações pró golpe dado pela quadrilha a serviço dos Estados Unidos, acolitada pelo judiciário, cujo caminho de assalto foi preparado pelo lavajateiro Sérgio Moro, pelo empresariado sujo do pato da FIESP,  pela mídia enganadora e pelo bando de boiada desnorteada pelas ruas,  vestindo camisetas da FIFA da Globo corrupta;  Cuba heroína e perseguida pelos fanáticos que desprezam a justiça social;  a Bolívia governada sob o impulso dos indígenas, dos trabalhadores,  dos pobres e outros países sofridos e oprimidos, onde sempre proclamou o amor aos humildes e a paz.

Desde a América Latina sacudida por ditaduras e golpes dementes, mas criadora da Teologia da Libertação, que afirma a “opção preferencial pelos pobres”, o Papa que acolhe os homossexuais, os divorciados, as crianças abusadas por bestas feras fingidas de cristãs  e todos os excluídos,  é perseguido por católicos romanos ditos conservadores, que promovem guerra de ódio e de divisão contra ele.

O “Cartas Proféticas” avalia que o Papa é perseguido por uma minoria influente, mas que o homenageia porque Francisco não se enquadra no figurino de quem se alia ao imperialismo anguinário e à guerra promovida pelo nazifascismo, irmão gêmeo e auxiliar do capitalismo internacional, sempre injusto, diabólico e sangrento.

Os que odeiam o Papa Francisco elegeram e amaram o Papa João Paulo II, o pastor satânico que ajudou a destruir a União Soviética, que perseguiu os padres sandinistas na Nicarágua e a Teologia da Libertação, também chamada de a teologia dos pobres. Com razão dom Pedro Cassaldágica afirmou que a única teologia correta é a Teologia da Libertação porque sua hermenêutica – interpretação – e visão de mundo se dão a partir dos oprimidos e da explicação das razões da opressão, indentificando o capitalismo e sua fachada neoliberalismo, na verdade o imperialismo,  como fonte das desgraças do mundo.

Todos os Papas se posicionaram politicamente. João Paulo II o fez da pior maneira possível, ajudando o neoliberalismo no recrudecimento do pensamento único opressor dominado pelos Estados Unidos. É desse lado que se movem os que maldizem o Papa Francisco.

Os algozes do amado Papa Francisco se sentem mal com ele mas sentiriam muito felizes com satânicos como Sérgio Moro, Deltan Dallangnol, com as bancadas da bíblia, da bola, do boi e dos bancos aqui no Brasil.

Os que odeiam Francisco, mesmo sendo “papa hóstias” e pretensos defensores da sagrada doutrina,  seriam bons apoiadores de Pilatos, de Herodes, de Caifás e de seus irmãos fariseus na crucificação de Jesus.

Acesse aqui para ler a íntegra dessa preocupante reportagem.

Colabore com o Cartas Proféticas e aumente sua renda ajudando organizar seminários em sua cidade. Veja como.

Leia também: “Os que produzem cadáveres buscam a morte de Lula”. 

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com * são obrigatórios *