pobre fascista

O professor Afrânio pergunta e responde: “o que leva uma pessoa pobre a ser ideologicamente de direita?”

Realmente é chocante e até escandaloso nos depararmos com pobres, trabalhadores humildes e os da falsa classe média  batendo no seu próprio peito se declarando de direita. Nada mais contraditório e miserável eticamente do que essa contradição.

Na religião esses miseráveis morais são fundamentalistas, fanáticos e agressivos. No ambiente dito cristão agarram-se à Bíblia afirmando que ela é a palavra de Deus,  que serve supersticiosamente para tudo, menos para aumentar a consciência e a inteligência deles.

No campo familiar são machistas e sem nenhuma participação nas lides domésticas, se são do sexo masculino. As mulheres para eles são escravas e objetos de cama, mesa e cozinha, a quem jamais valorizam. Se são mulheres olham as outras como concorrentes e não como seres igualmente explorados e carentes de libertração.

No âmbito social são alienados, arrogantes, preconceituosos com os diferentes,  apoiam candidatos reacionários, são analfabetos polítcos, sem jamais baixar a crista e o nariz sempre empinado.

Na esfera econômica não passam de capachos e de escravos da classe dominante, que os explora e os despreza. Porém, se obtêm um pouco mais de ganhos salariais se consideram elite e ricos. O grande professor Afrânio Silva Jardim explica a razão do topeirismo do pobre de direita.

Apesar do equívoco epistemológico do professor ao afirmar crença no “socialismo democrático”, sua tese sobre a ignorância como causa para o despropósito para o tal pobre de direita é convincente.

Sobre os frutos do socialismo acertadamente Afrânio explica que “em uma sociedade socialista, ganham todos os que não são ricos ou muito ricos.

O fato de, na realidade prática, não se ter conseguido até hoje alcançar uma perfeita justiça social, não significa que a teoria seja errada. Apenas significa que os conhecidos defeitos do ser humano não permitiram implantar corretamente as boas ideias que ele mesmo criou para transformar a indesejável realidade social”, explicou.

O socialismo é o projeto que liberta os pobres das amarras da miséria, da pobreza, devolvendo aos trabalhadores os frutos justos de seu trabalho. O capitalismo concentrador de riquezas, de renda e de poder é o regime de ladrões, desonestos e mentirosos. Ninguém trabalhando obtém riquezas. Estas são frutos do roubo apoiado por leis e pelo Estado a serviço dos poderosos.

Os pobres de dereita não entendem isso porque são manipulados pelas mentiras da mída, do Estado, da religião, da família e cercado por todos os fantasmas que os amedrontam, mantendo-os na ignorância.

Afrâneio da Silva Jardim esclarece: “somente a ignorância (o grifo é nosso) pode explicar o motivo pelo qual uma pessoa pobre possa ser contra uma sociedade mais justa, onde todos tenham condições concretas para usufruir uma vida digna.

Importante esclarecimento: uso aqui a palavra “ignorante” não no sentido pejorativo ou ofensivo, mas no sentido de não terem as pessoas o conhecimento teórico que lhes permita perceber o processo de exploração a que estão submetidas em uma sociedade de economia liberal”, ensina o professor.

Leia abaixo o artigo rápido do professor Afrânio Silva Jardim.  

Abraços.

Colabore com o Blog

O QUE LEVA UMA PESSOA POBRE A SER IDEOLOGICAMENTE DE DIREITA?

Facebook.

Em uma sociedade socialista, só perdem os ricos e os muito ricos.

Em uma sociedade socialista, ganham todos os que não são ricos ou muito ricos.

O fato de, na realidade prática, não se ter conseguido até hoje alcançar uma perfeita justiça social, não significa que a teoria seja errada. Apenas significa que os conhecidos defeitos do ser humano não permitiram implantar corretamente as boas ideias que ele mesmo criou para transformar a indesejável realidade social.

A história tem demonstrado que os detentores do poder econômico não têm permitido a evolução das sociedades em prol do socialismo, o que acaba resultando em violências políticas por ambos os lados.
Entretanto, ainda julgamos válida uma nova tentativa, o que permitiria a implantação de um verdadeiro socialismo democrático.

Assim, talvez possamos ter no futuro uma sociedade mais igualitária, sem que se suprimam as liberdades fundamentais, importantes para o integral desenvolvimento das personalidades individuais.

Agora, respondo à pergunta que é o título deste texto: somente a ignorância pode explicar o motivo pelo qual uma pessoa pobre possa ser contra uma sociedade mais justa, onde todos tenham condições concretas para usufruir uma vida digna.

Importante esclarecimento: uso aqui a palavra “ignorante” não no sentido pejorativo ou ofensivo, mas no sentido de não terem as pessoas o conhecimento teórico que lhes permita perceber o processo de exploração a que estão submetidas em uma sociedade de economia liberal.

 

Afranio Silva Jardim, professor associado de Direito da Uerj.

Deixe uma resposta