Dirceu-Requião

O senador Roberto Requião conclama a levante popular e o ex ministro José Dirceu pede que tomemos as ruas

Angustiado, como todos/as os/as cidadãos/ãs e patriotas de boa vontade,  o senador Roberto Requião conclama o povo brasileiro ao levante popular contra a desgraça promovida pelo quadrilheiro MiShel Temer e pelos canalhas do Congresso Nacional e sua súcia da mídia e do mercado na sua ação satânica de alta intensidade.

A reforma da previdência é uma patifaria que interessa aos bancos privados.. Eles querem privatizar a previdência pública”, bradou o bravo senador Requião.

“O que querem acabar é com o Estado Social.”

“Brasil: ocupar as ruas, os sindicatos; a solução é que nos levantemos”, chamou o parlamentar patriota.

Ouça o áudio no blog do Ismael.

Em face da perseguição ao ex presidente Lula, que o justiceiro e filhote do imperialismo, Sérgio Moro da republiqueta cloacal de Curitiba, o ex ministro José Dirceu, este também vítima do golpe justicialista do STF e do juizeco de primeira instância, conclama que o povo tome Porto Alegre no dia 24 de janeiro de 2019, quando os desembargadores farão teatro de má qualidade para mascarar a desonra com que ajudam a enforcar a democracia.

“A hora é de ação, não de palavras, transformar a fúria e revolta, a indignação e mesmo o ódio em energia, para a luta e o combate. Todos a Porto Alegre dia 24, o dia da revolta”, conclama Dirceu. “Criar mobilizar um dois três…. milhares de comitês em defesa de Lula. Denunciar, desmascarar e combater a fraude jurídica e o golpe político. As ruas para ir as urnas e derrotar os inimigos da democracia da soberania do povo trabalhador e do Brasil”, pede o ex-ministro.

A omissão e o silêncio populares só favorecem a quadrilha golpista e o desmonte da dignidade nacional e o fuzilamento da democracia. É preciso agir agora antes que seja preciso o derramamento de muito sangue para reverter a situação e avançarmos.

Colabore com o Cartas Proféticas e aumente sua renda ajudando organizar seminários em sua cidade. Veja como.

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com * são obrigatórios *