ratos_barcos

Os bons moços agora aceitam dar os nomes certos para o trapaceiro, miliciano, boçal e desgraçado Jair Bolsonaro

Acesse também e compartilhe o Canal Espiritualidade Revolucionária: https://www.youtube.com/channel/UC9WX….

Por Dom Orvandil. 

Aqui no Cartas Proféticas não adulamos ninguém nem jamais caímos na farsa de chamar de presidente a um mentiroso, criminoso, genocida,  golpista, grosso, estúpido, ininteligente, homofóbico, misógino, levado ao governo da república graças a uma avalanche golpista, feita de ondas em atropelos, se iniciando com empilhamento de cadáveres de pessoas assassinadas em nosso país, passando pelo impeachment sem vergonha  e pelas eleições fraudadas em 2018.

Sei de pessoas educadas, cientes de seus egos e boa fé, que chamavam o canalha Jair Bolsonaro de presidente e a camarilha de sua equipe formalmente de ministros.

Instituições como  o STF e o Congresso Nacional, que institucionalizaram a chapa sem vergonha  de presidente e vice,  falsamente eleita pela marmelada de 2018, cujas “eleições” colocaram  também  nos governos estaduais, nas assembléias legislativas, na Câmara e no Senado um bando de boçais traidores da pátria, na verdade se tornaram cúmplices do golpe contra a Nação brasileira.

A cumplicidade covarde dessas instituições constrangeu jornalistas e intelectuais a chamarem  crápulas pelos títulos que nunca honraram e que jamais o poderiam fazê-lo. Água podre jamais pode ser denominada de água limpa.

Outros chamavam Bolsonaro de presidente pensando muito mais em si do que na verdade e na denúncia.

Aqui no Cartas Proféticas sempre tratamos o crápula impulsionado ao governo pelo golpe de Estado mais vulgar e violento de nossa história,  adotando com relação a essa lamentável figura  a linguagem adequada, desde a primeira hora, sem esperarmos o afundamento do barco miliciano para depois chamarmos os ratos pelos seus devidos nomes.

O Brasil amanheceu neste domingo, 17/05, sob o guinchar de mais um ratão que salta do barco furado da famiglia Bolsonaro, que afunda em meio às águas do fascismo e da pandemia com a qual querem nos matar.

Trata-se do “seo” Paulo Marinho, um dos membros podres do mercado dominante.

A jornalista Mônica Bergamo, na sua coluna no jornalão Folha de São Paulo,  trouxe a entrevista do ratão cúmplice da eleição falcatruada do miliciano Jair Bolsonaro.

Alertemo-nos para  o fato de que os ratos saltem dos barcos afundando, é histórico. Da barcaça podre do Palácio do Planalto já pularam vários. O mais expressivo foi o marreco de Maringá e, agora,  o fétido Paulo Marinho.

É histórico  também que os ratos pulem carregando os queijos contaminados e mordidos pelos comparsas maiores, como o faz agora  Marinho com o comparsa Flávio Bolsonaro e a sua malcheirosa famíglia.

“Não surpreende”, como escreveu o jornalista Leonardo Attuch em sua coluna no site Brasil 247.

Desde as manadas nas ruas a partir de 2013 já sabíamos do golpe em marcha, bem como pelos cadáveres da república, que ainda permanecem insepultos e sem que os assassinos sejam identificados e responsabilizados.

O malandro Paulo Marinho, segundo  Mônica Bergamo, contou que “em dezembro daquele ano [2018], com Jair Bolsonaro já vitorioso e prestes a assumir o comando do país, Flávio procurou Paulo Marinho. Estava “absolutamente transtornado”, segundo o empresário. Buscava a indicação de um advogado criminal.

escândalo de Fabrício Queiroz, funcionário de Flávio no seu gabinete de deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio, não saía das manchetes. Havia acusações de “rachadinhas” e de desvio de dinheiro público. O senador recém-eleito temia as consequências para o futuro governo do pai —e precisava se defender”, contou o ratão Paulo Marinho.

E continua a reportagem de Mõnica: “segundo ele [Paulo Marinho], Flávio disse que soube com antecedência que a Operação Furna da Onça, que atingiu
Queiroz, seria deflagrada”.

Só faltava confirmar o que todos sabíamos: o filhote desordeiro “foi avisado da existência dela [Oparação Furna da Onça] entre o primeiro e o segundo turnos das eleições, por um delegado da Polícia Federal que era simpatizante da candidatura de Jair Bolsonaro”, entregou o ratão Marinho.

Daí continua a pornografia da iniquidade moral das instituições da república, tão “respeitadas” pelos bons moços do jornalismo, que acreditaram em contos da carochinha, chamando os meliantes golpistas e milicianos pelos títulos que não lhes cabe.

Um delgado da polícia federal, essa instituição que virou antro da ditadura e que, a serviço da máfia internacional e dos ratos aecistas, cunhistas, alkmistas e outros entreguistas da pior espécie, procurou o Flávio rato Bolsonaro para alertá-lo do vazamento da lista da rachadinha corrupta do gabinete de deputado estadual no RJ.

“As revelações que Marinho diz ter ouvido do filho do presidente [presidente porra nenhuma] nesse encontro são bombásticas: segundo ele, Flávio disse que soube com antecedência que a Operação Furna da Onça, que atingiu
Queiroz, seria deflagrada.

Foi avisado da existência dela entre o primeiro e o segundo turnos das eleições, por um delegado da Polícia Federal que era simpatizante da candidatura de Jair Bolsonaro”, conta a jornalista Bergamo (leia a reportagem aqui).

Enfim, foi isso tudo que bancadas da bíblia, evangélica, igrejas neopicarteas, mídia, militares empijamados e golpistas como Villas Bôas, Augusto Heleno, Hamilto Mourão e outros delinqüentes apoiaram e apóiam.

Daí não há como não concordar com Atucch quando escreve  dando o nome certo para a trilha de sujeiras vindas a público mais uma vez.  “A coleção de trapaças que permitiu a chegada de Jair Bolsonaro ao poder”, escreveu em sua coluna,  contando com “o Supremo e tudo”, como revelou o patife Romero Jucá sobre as articulações que os podres já faziam com os covardes e traidores de todas as instituições, como foi o caso de omisso e pusilâmine STF.

Mais uma vez aprendemos que a linguagem cheirosinha,  desconhecida do povo e abominada pelo senso comum, não ajuda em nada, a não ser a de dar a impressão de que os bons moços são educados e afeitos a alianças com a classe “mérdia”.

Acesse também e compartilhe:

Ideologia adotada pelos quartéis faz de comandantes chefes bandidos e criminosos, humilhadores de indefesos.

– Chimarrão Profético com o Pastor Ariovaldo Ramos: “Os direitos humanos são bíblicos”.

– Jair Bolsonaro, o bobão medroso e lacaio fascista do mercado, treme de medo do que virá.

– Chimarrão Profético com a “Química” Andrea Matos, Executiva da CUT/RJ: “a sacanagem da elite com os negros!”

– Chimarrão Profético com o Dr. Daniel da Costa, teólogo e filósofo: “o fundamentalismo é canalha”.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um comentário

  1. "Os bons moços agora aceitam dar os nomes certos para o trapaceiro, miliciano, boçal e desgraçado Jair Bolsonaro". Continue o compartilhamento máximo do Cartas Proféticas, mas somente da chamada e do link desta postagem. Isso nos ajuda muito na movimentação do blog. Por gentileza, ative o notificações para receber as novidades do blog. FIQUE EM CASA E SE PREPARE PARA A GRANDE LUTA NO PÓS PANDEMIA: http://cartasprofeticas.org/os-bons-mocos-agora-aceitam-dar-os-nomes-certos-para-o-trapaceiro-miliciano-bocal-e-desgracado-jair-bolsonaro/

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.