estudantes_ufrgs

Os estudantes gaúchos dão exemplo de como enfrentar criminosos como Bolsonaro

Situação complexa a que vivemos. O risco do golpe de Estado, conduzido por marginais,  de buscar consolidar-se em forma militar usando as eleições,  é eminente.

Delinquentes e bandidos da pior espécie, todos peões vagabundos do mercado dominante, funcionando na republiqueta cloacal e fétida de Curitiba, no STF, no STE, na mídia, em setores das forças armadas e no Palácio do Planalto,  invadem o reduto antes considerado democrático e cidadão, o das eleições.

Aí,  a cavalo do mais cruel assassino, o nazifascismo,  que ja matou milhões nas fornalhas e holocaustos da Alemanha, da Polônia, da Itália etc, objetiva sugar e derramar o sangue do povo brasileiro, guerra que já começou, se incorpora no aventireiro Jair Bolsonaro e no seu vice Hamilton Mourão.

O risco é agendado e a guerra acelerada,  levando o Brasil abismo abaixo.

Enquanto isso,  Ciro Gomes, candidato a presidente pelo PDT, partido criado pelo grande Leonel Brizola, com raízes no heroísmo da luta contra golpes históricos, trai toda uma história de lutas, pisando em Brizola, Jango e Getúlio Vargas, depois de fazer uma campanha elitoral que contribuiu,  afirma apoiar Fernando Haddad no segundo turno e depois viaja de férias, para passear na Europa enquanto nos ferramos aqui no Brasil.

O cheiro de covardia, de omissõe e de traição aumenta por todos os lados.

Felizmente estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul resitem e fazem o que muitas lideranças se recusam a fazer.

Desde o impeachement a “resistência” se limita a discursos e, agora, a campanha eleitoral, deixando o povo entregue à voragem da mídia e da desgraça avassaladora do fascismo chefiado a coices, tiros, facadas, pedradas e a desaforos por Jair Bolsonaro e seus apoiadores, vagabundos e violentos.

Mas jovens universitários se levantam de forma correta polticamente. Farão o que as lideranças partidárias, as coligações e os movimentos sociais se negam fazer: panfletaearão massivamente e realizarão comicios nos principais pontos de concentração popular em Porto Alegre.

O objetivo dos universitários é o de se comunicar com o povo,  visando descongestioná-lo das manobras, mentiras e sujeiras feitas por Bolsonaro e pela mídia a serviço dele, com poderosos fake news.

Acesse abaixo o link do site Sul21 para conhecer essa experiência grandiosa de jovens que não se deixam engolir pela alienação e pela idoelogia do mercado. 

Colabore com o Blog

Estudantes da UFRGS organizam ações para ‘sair da bolha’ e conversar com eleitores de ‘porta em porta’

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com * são obrigatórios *