Aécio.Caiado marginais

Os goianos precisam saber que Ronaldo Caiado ajudou a financiar o golpe

Dani Schwery em seus tempos de militância pró impeachment

Dani Schwery em seus tempos de militância pró impeachment

Todos lembramos das manifestações de 2013 a 2016 com uma boiada midiota tomando as ruas do Brasil.

Multidões de sonsos pedindo “fora, Dilma”, berrando por intervenção militar e até por agressões militares dos Estados Unidos.

Remediados metidos a ricos e empresários explorando suas empregadas domésticas, levaram crianças e cachorros para as ruas fingindindo indignação contra a corrpução e tudo o “que está aí”.

Pois é, muitos deles se arrependem e contam quem manipulou, mentiu e levou pela frente os bobos da corte do imperialismo.

O jornalsita Mauro Donato do DCM entrevistou Daniela Schwery, ex filiada ao PSDB do margonal do pó, Aécio Neves, que conta toda a farsa dos igualmente nada verdadeiros os tais de “movimentos sociais”  que se diziam apartidários e independentes.

Daniela, se dizendo decepcionada e enganada com o PSDB, se desfiliou do ninho golpista e conta tudo em entrevista.

Conta, por exemplo,  que o marginal e delinquente Aécio Neves ajudou a financeiar as turmas de preguicosos Vem Pra Rua, MBL e outros grupelhos que tinham seguidores nas redes sociais.

Mas Aécio é por demais conhecido como marginal e delinquente, menos o ministro Marco Aurélio que o avalia como excelente parlamentar e político.

O importante é conheceremos a entrevista da dondoquinha para identificarmos outro de má índole, Ronaldo Caiado que, embora violento, um aparente touro berrante do Serrado de Goiás, descedente de uma das famílias de ruralistas altamente conservadoras, concetradoras de terras e de escravos, de quem Pedro Ludvido só escapou com vida para ser auxiliar de Getúlio Vargas, fundador de Goiânia e governador de Goiás porque era inteligente.

Ronaldo Caiado, que gosta de chamar-se de médico – “eu sou médico” – foi o aparentemte mais moralista, discursador canalha do Senado que se referia aos bandoleiros branquelos e remediados como “as vozes das ruas”.

Nada, o “eu sou médico” nunca contou, nem o faria por desonestidade inteletual e por falta de ética em elevado grau, que ele foi um dos financiadores da bandalheira feita pelos moleques do golpe.

Quer dizer, há pessoas em Goiás que acreditam no grosseiro “eu sou médico”, no seu discurso moralista e nas suas intervenções ameaçadoras de jagunço sempre armado de facão e de pistola para atirar nos divergentes, mas não sabem que ele é um dos responsáveis pelo golpe que colocou no governo uma quadrilha.

No fundo,  o “eu sou médico”, que chegou a pensar se canditar a presidente em 2018, mas recuou para uma candidatura ao governo do Estado de Goiás, é um dos responsáveis pelo desemprego, pela entrega do Brasil às grandes corporações americanas e por toda a pornografia entorno do quadrilheiro Michel Temer.

Ronaldo Caiado, o “eu sou médico”, é um golpista marginal. Desvendar a aura machista do golpista “eu sou médico” é impedir que o povo de Goiás, mais uma vez,  se embrete em situações terríveis como acontece neste Estado desde que a turma de Marconi Perillo, de Cachoeira e do prpoprio “eu sou médico”, que brigou com alguns deles, mas continua parte do mesmo bloco conservador e anti povo.

Leia a entrevista no DCM com Daniela Schwery, a dondoquinha desbocada e arrependida.

Colabore com o Cartas Proféticas que analisa as notícias, busca os nexos com o todo, com as causas e os efeitos e critica  propositivamente.

Compartilhar:



Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.
Os comentários expressam a opinião de seus autores e por ela são responsáveis e não a do Cartas Proféticas.