policias_une

Policiais violentos e toscos batem em estudantes universitários em Brasília

Como informa a nota do site da União Nacional de Estudantes, que foram nesta tarde de 16/07/19 até ao MEC demonstrar  repúdio e justa indignação com a privatização das universidades públicas, foram recebidos a cassetetes, bombas de gás de pimenta,   balas de borracha e empurrados para fora do hall do Ministério da Educação.

‘’Nós estávamos aqui pacificamente para demonstrar a nossa indignação com quem tira dinheiro da educação e quer privatizar a universidade pública e a polícia quis nos tirar a força da frente do MEC. Nos agrediram de forma brutal e covarde, mas nós vamos continuar aqui para demonstrar nossa indignação não só com quem corta da educação, mas com quem também é autoritário e não aceita uma manifestação democrática’’, falou o presidente da UNE Lago Montalvão  através de live pelo Facebook.

A notícia carrega a tristeza do resultado do golpe de Estado a favor dos macros interesses perversos neoliberais do mercado, que se espraia para todos  os lados no país, retirando a educação dos cuidados  federais e públicos.

Por si só o fato já é de uma violência fascista brutal. As políticas neoliberais desprezam o conhecimento e o saber para o povo e os seus filhos.

O miliciano e fantoche charlatão Jair Bolsonaro se mostra cada vez mais violento. Também surdo e alheio aos clamores populares. Só o que interessa é atender o programa e a agenda imposta pelos interesses estadunidenses e do mercado, que quer privatizar as universidades estatais para comprá-las por baixo custo e lucrar com elas.

Leia e compartilhe: Intelectual justo sobe o tom no enquadramento da quadrilha de jagunços da lava jato

O uso covarde da força policial é parte do jogo sujo miliciano neoliberal. Basta a eles divulgarem carradas de mentiras contra os estudantes e os campus universitários para desmoralizá-la junto à opinião pública manipulada.

O desgoverno miliciano e fantoche não empregaria tanta violência se não contasse com policiais toscos, ignorantes e covardes. Eles se escondem por detrás de couraças e de cassetetes pesados para bater naqueles que poderiam ser seus filhos que, com toda a certeza, os superam em muito no conhecimento e domínio do que ocorre nessa triste realidade.

Esses mesmos policiais gritavam há poucos dias na Câmara de Deputad@s que Jair Bolsonaro os traíra. Porém, logo que conseguem o que é de seu direito ignoram e desprezam os direitos dos estudantes universitários. Quando entram em greve clamam pela solidariedade da sociedade, choram, suas mulheres reclamam dos baixos salários e dos riscos de morte que correm seus maridos. Até aí têm razão. O diabo é que os ignorantes, egoístas e covardes não são capazes de desobedecer a ordens injustas e violentas contra o povo, neste caso contra o melhor da nossa juventude, a sua massa crítica universitária.

Felizmente os estudantes universitários não se acovardaram e enfrentaram os marginais armados pelo Estado em processo de “fascização”. Prometeram resistir e não se afastarem.

Daqui do Cartas Proféticas a nossa solidariedade e nossa esperança de que essa juventude não se vergue aos covardes, aos vendilhões e ladrões da educação.

Vocês podem ser embrião da luta mais profunda na mobilização de toda a sociedade!

Leia, veja e compartilhe mais:

Roberto Armando Ramos de Aguiar: mais um patriota que morre no contexto de golpe e de assédio político e moral

Cooptados;

Maçã envenenada;

Aparecem as causas da morte de Paulo Henrique Amorim. Lula em risco!

O choro facínora e as lágrimas emocionadas do surdo, cego e injusto Rodrigo Maia.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.