procuradores-pf

Procuradores da fraca tarefa suja a jato tentam intimidar,  emparedar a sociedade para interferir nas eleições de 2018 e na greve geral

Com caras de bodes assustados,  os procuradores da fraca tarefa suja a jato, da republiqueta cloacal de Curitiba e de outros redutos no Brasil, usaram dinheiro público e espaços na mídia golpista para tentar intimidar e enganar o povo brasileiro.

O discurso moralista de cunho fascista foi o fio condutor das ameaças subliminares que os mal encarados cheios de convicções e fundamentalistas fizeram à sociedade brasileira, afirmando que os “políticos” (os analfabetos políticos não sabem que todos os cidadãos são políticos)  ai têm que ser afastados, menos os amigos do mercenário Sérgio Moro, como aquele da aguinha mineral, que pareciam tomar juntos de canudinho, como o macarrão do filme A Dama e o Vagabundo.

“É preciso que a sociedade continue atenta aos movimentos dos atuais parlamentares, manifestando-se contra qualquer tentativa de dificultar ou impedir as investigações criminais de pessoas poderosas”, em ameaça escrita em carta pelos procuradores da Lava Jato de Curitiba, Rio e São Paulo, que só procuram “crimes” de um lado só da sociedade, protegendo os verdadeiros corrutos e inimigos da Pátria, como a quadrilha comandada pelo traidor MiShel Temer.

Pessoas poderosas para esses pulhas são as que governaram incluindo os pobres e os trabalhadores. Aécio, Alckmin, Marconi, Sartori, FHC, Temer e outros canalhas e quadrilheiros  são humildes servidores do povo,  para quem delegados da polícia federal fizeram campanha eleitoral em 2014.

O esquio com cara de cobra morta, Deltan Dallagnol, foi ainda mais ameaçador  em entrevista concedida na capital fluminense: ”2018 será a batalha final para a Lava Jato….será uma vitória para a Lava Jato se forem eleitos candidatos com passado limpo e que atuem no combate a corrupção, mas o futuro será sombrio se os que estão aí forem mantidos”.

A linha conceitual divisória entre a tal “batalha final para a lava jato” é a eleição de “candidatos com passado limpo”.

Aécio Neves solto, o quadrilheiro MiShel Temer a quem Moro cumprimentou em estado orgástico, golpistas dos mais sujos e desonestos, são exemplos de candidatos de passado limpo.

Vão ser calhordas, canalhas e burros assim na casa do diabo.

É evidente que candidatos comprometidos com o povo, com a justiça social e com o Estado inclusivo são sujos para esse tipo de discurso imbecil,  desses procuradores de fala cheia de ódio ao povo.

A tentativa da carta que desses procuradores lavajateiros escreveram e da coletiva que deram foi inibir as eleições de 2018, mas sobretudo a greve geral do dia 05/12.

Leia mais sobre a nojeira dos procuradores de chifres em cabeça de cavalo na reportagem de Rodrigo Viga Gaier da Agência Reuters.

Colabore com o Cartas Proféticas e aumente sua renda ajudando organizar seminários em sua cidade. Veja como.

Compartilhar:



Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.
Os comentários expressam a opinião de seus autores e por ela são responsáveis e não a do Cartas Proféticas.