Lula e povo na Bahia

Que significa Lula abraçado pelo povo na Bahia?

Nesta situação de crises e busca de caminhos o povo se posiciona e desenha sua vontade para quem quiser entendê-la.

Há os que desdenham do povo e por ele são recebidos a ovadas. E há quem constrói obras históricas com o povo e por ele são recebidos calorosamente de braços abertos.

Dória e Bolsonaro são alvos de ovos porque nunca fizeram nada que se possa apalpar e reconhecer como dedicação ao povo nem mesmo aos seus admiradores, que em breve fugirão deles como boidas desorientadas e sem referências.

A  disseminação do ódio e da discriminação por parte dos dois líderes vazios da direita é o discurso que jorra de suas almas contaminadas.

Já Lula, a bem da verdade e das ciências sociais, não pode ser enfiado no mesmo balaio onde se encontram “todos os outros”. Pelo menos o povo não o reconhece na companhia de todos esses outros.

Aqui não se trata de partidarismo nem de lulismo cego, mas de sensibilidade na observação dos fatos.

Em face da caçada implacável que o mesmo judiciário que prende pobres e negros faz contra ele o povo o reconhece como um dos seus e o escuta.

Ao comparar as obras o povo olha para João Dória e para Jair Bolsonaro e vê o que a seu favor? No primeiro, que é prefeito da maior capital brasileira e latino americana, e no segundo eleito e reeleito deputado federal várias vezes,  nada percebe digno de emoção e conteúdo humano-social.

Comparando-os com Luis Inácio Lula da Silva, principalmente os pobres, de quem o Nordeste é imensamente representativo, o povo capta o que? As multidões que negam os juízos seletivos de Sérgio Moro e daquele  que  impediu Lula de receber o título de doutor honoris causa da Universidade Federal do Recôncavo Baiano, em plena comunhão com a corrente do mal do vereador de direita que o provocou a barrar a titulação ao ex presidente e, certamente, com todos os setores da elite marginalizadora brasileira que odeiam e teme o povo, julga Lula como o maior presidente que o Brasil teve.

Mais:  Lula sabe transcender o ódio e os obstáculos que as víboras lhe colocam pelo caminho. As palavras do líder popular mostram que  ele tem coração e que percebe o povo lá onde este precisa vencer. Ao discursar à frente da Universidade Federal do Recôncavo Baiano, onde receberia o título de doutor honoris causa, negado pela direita encastelada no parlamento e no judiciário, Luz sinalizou fontes inesgotáveis de energia que brotam das mudanças ricas de justiça social feita inclusão de todos nos frutos do direito à  vida com dignidade. Não se sentiu derrotado,  apesar de triste, e  apontou a seta aos valores do coletivo, da gratidão e do sentido da vitória dos pobres quando recebem graus nas universidades.  Ao agradecer o “conselho universitário pela concessão do título, cassado pelo individualismo e pela alienação.  “Muito me entristece não ter recebido meu título. Sou agradecido ao conselho universitário, mas fi sabendo de uma história de uma menina que tirou o seu diploma, e, quando ela tirar o diploma de doutorado, esse será meu título”, disse Lula cercado pela multidão que entende muito bem as palavras que fala.

Ninguém no campo da direita neoliberal tem essa empatia profunda com o povo. Os vínculos com alma e o inconsciente popular afirmando essas fontes tão intensas de energia – a unidade coletiva, a gratidão, o direito de sonhar – são também o veredito popular libertador e profundamente humano que esse judiciário dominado pelo o formalismo sem coração e fascista não sabe perceber.

Compartilhar:



Um Comentário

  1. Lula saiu do povo e sente a dor e a alegria do povo ,não por ter sua história de vida oriunda da pobreza do Nordeste mas por carregar na alma um amor por pessoas que transcende tudo o que esta elite medíocre desconhece .
    A ganância de Lula é por justiça social bem oposta da ganância capitcapitalista destes porcos (com todo respeito aos porcos) que estão no poder.

    Firmes na luta!!!

Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.
Os comentários expressam a opinião de seus autores e por ela são responsáveis e não a do Cartas Proféticas.