parque-dona-lindu

Refletindo sobre a carta de Lula ao gorila de pijama Hamilton Mourão

Reagindo, certamente com dor pela ofensa destilada da alma podre e venenosa do golpista e gorila de pijamas, o general que virou vice na chapa fascista de Jair Bolsonaro, o “seo” Hamilton Mourão, que abriu a boca carregada dos vermes do fascismo discriminatório e falou que  que casas chefiadas por mães e avós são “fábrica de desajustados para o tráfico”.

Lula está preso e condenado pelo fascismo que ainda domina o judiciário não é porque Dona Lindu, sua mãe, o criasse sozinha  com mais 7 irmãos, mas por ideias como as adotas pelo gorila que ofendeu milhões de mães e avós do Brasil.

O arrogante general de pijamas, o senhor Mourão,  é autoritário, machista e desumano. Certamente ele pensa que encontraria na sociedade brasileira uma manada de imbecis semelhantes aos da loja maçônica de Brasília de onde urrou golpe militar contra a democracia brasileira ao invês de exercer a missão militar patriótica de defender o país ameaçado e roubado pelos macros interesses econômicos internacionais. Não, Mourão comporta-se como gorila ao  adotar a atitude entreguista e de traição à patria como vem fazendo ao silenciar colaborativamente com os canalhas golpistas, inclusive com o comandante em chefe dele, o vampirão e quadrilheiro MiShel Temer.

Quem é comandado por golpista e ladrão e nada faz é porque aceita e se iguala com a quadrilha.

É por isso que Lula é presidiário e não por ser amorosa e heroicamente criado por uma mulher nordestina, que migrou para salvar os filhos da morte pela fome.

O ex presidente Lula rebate o mau juízo do gorila fascista. Classifica de medíocre o conceito do fanfarrão,  metido a entendido de psicologia e de sociologia.

Contrariado com a postura do gorila mentiroso, Lula divide os conceitos de exército. Um é o do qual o ofensor das mulheres chegou: entreguista, covarde, apoio do fascismo, inimigo da pátria; outro é patriota, nacionalista, amigo do povo, defensor da democracia, no qual Mourão não cabe e, se tentasse, seria preso e condenado como criminoso por ofender o melhor que faz o Brasil, as mulheres.

Na carta rápida e fulminante transparece o Lula feminista. Não o feminismo rançoso anti homem, mas o que reconhece o poder revolucionário das mulheres brasileiras.

Quando afirma que foi criado com mais 7 irmãos pela Dona Lindu, o ex presidente defende a garra e a honestidade de uma mulher brasileira pobre,  que tudo fez para educar e fazer crescer os filhos. Também afirma a crueldade com que os nordestinos são tratados por mediocriocridades violentas, discriminatórios e elististas como as que desumanziam o gorilão cheio de preconceitos.

O conselho do encarcerado pelo medo e pelo ódio do mercado e do fascismo de que o general desbocado e grosseiro faça um curso de humanismo é de uma beleza grandiosa.

O reconhecimento do despreparo de gente como Mourão e Bolsonaro é subjacente ao conselho luminoso que vem da prisão de Lula. Porém, ao apontar os caminhos do humanismo há a denúncia do quanto a mediocridade fascista desumaniza, embrutece, irracionaliza e insensibiliza essa gente que busca o poder trilhando os caminhos do preconceito.

Se não leu leia e se leu releia abaixo com mais pessoas a bela carta que o ex presidente Lula envia para o gorila de pijama Hamilton Mourão. 

Colabore com o Blog

Curitiba, 19 de setembro de 2018.

“General Mourão, não julgue avós e mães pobres pelo seu conceito medíocre sobre a espécie humana. Se o senhor já pensava assim não deveria ter chegado a general e muito menos querer ser vice-presidente. 

Eu e sete irmãos fomos criados por uma mulher analfabeta chamada Dona Lindu e duvido que exista alguém na sociedade brasileira que educou os filhos melhor do que ela. Pode ter igual, melhor nunca. 

General, um conselho, faça um curso sobre o Humanismo.”

Lula.

Um comentário

  1. Estes monstros disfarçados de Homens terão a respostas das mulheres no dia da eleicao

Deixe uma resposta