juan_grabois

Representante do Papa Francisco barrado na visita à Lula em Curitiba!

Há dias gravei vídeo apelando ao Papa Francisco que venha ao Brasil ou mencionasse o caso do ex presidente Lula em audiência na Praça São Pedro no Vaticano.

Sensível ao que se passa na sua América Latina e preocupado com a violência que Lula sofre  e com as mentiras que se abatem sobre ele num processo mentiroso, calunioso e satânico, com o claro objetivo de impedir que o maior líder brasileiro despute as eleições para libertar nosso povo do desemprego e das mazelas econômicas e sosicias, o Papa Francisco já criticou a mídia por caluniar, condenar e destruir as lideranças populares.

Agora Francisco enviou o seu conselheiro para os assuntos relativos aos movimentos sociais e à justiça e paz,  Juan Grabois, que foi barrado pela polícia federal em Curitiba.

A provocação e a demonstração de ódio são evidentes. Isso, sem dúvidas, repercutirá não somente no Vaticano mas em todo o mundo.

Lamentável tanto ódio que Sérgio Moro e sua quadrilha usam contra o povo brasileiro, porém, isso servirá para que o Papa perceba o que se passa em nosso país.

Após sair da superintendência da polícia federal em Curitiba Juan Grabois disse aos repórteres: “Vim com muita esperança trazer uma mensagem ao ex-presidente Lula e, lamentavelmente, de maneira, para mim, um tanto inexplicável, os funcionários da Superintendência, aparentemente por uma ordem de cima, decidiram suspender os direitos de Lula e os meus de ter um encontro com o ex-presidente, porque não se poderia caracterizar um encontro religioso”, disse  o representante do Papa em Curitiba.

Grabois manfestou estranheza por a polícia barrá-lo de ver Lula quando ele visitou presos nas mesmas condições em várias partes e nunca foi impedido. “Estou muito preocupado com a situação, considerando que estamos diante de um claro caso de perseguição política, onde há uma deterioração da democracia no Brasil. Esta inexplicável negativa a permitir uma visita que estava programada de antemão é parte também de um processo de degradação das instituições não somente no Brasil, mas nos países da América Latina”, denunciou profeticamente.

“Me surpreende que o argumento das autoridades tenham finalidade teológica, por eu não ser um sacerdote consagrado. Não sei se esses funcionários têm formação teológica, mas reforço que todos os batizados somos discípulos e missionários e temos uma missão a cumprir”, explicou, mesmo que isso nada adiante diante de analfabetos políticos e teológicos.

O conselheiro da cúria do Vaticano declarou que sai muito triste por não ver o ex presidente e não poder lhe entregar um rosário e uma mensagem do Papa Francisco.

Veja o vídeo abaixo com a entrevista de Juan Grabois.  

Colabore com o Blog

Um comentário

  1. Adorei essa página! Obrigada pela sua existência!

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com * são obrigatórios *