Estudante ferido

Repúdio à violência policial e solidariedade crítica a estudante agredido

Caro estudante de Ciências Sociais Mateus Ferreira da Silva, Goiânia, GO

Repudio veementemente a violência policial que te atingiu.  Um funcionário público, pago para dar segurança pública, usando de cassetete deu uma paulada com extrema força sobre teu crânio, provocando danos em forma de fraturas em teu rosto.

Um policial, ao invés de proceder com humanidade, agiu como criminoso armado a serviço de uma visão fascista oculta, que não conhece diferenças nem respeita as vozes de quem, mesmo inadequadamente, contesta o uso da força pública para criminalizar as lutas do povo.

Tu participaste com teu grupo das manifestações contra as reformas empreendidas pelo golpista Michel Temer e a gangue do Congresso Nacional no massacre dos direitos trabalhistas, da previdência e da democracia.

A agressão contra ti ocorreu no início da tarde de sexta-feira (28), logo após terminadas as as manifestações e greve geral realizadas aqui em Goiânia.

Portanto, solidarizo-me contigo e com tua família nesse momento de incertezas após as dolorosas 4 horas de cirurgia que médicos fizeram em ti com o objetivo de reconstituir os ossos de tua face, fraturados pela violência do agente policial que, depois de te atingir, fugiu te abandonando ferido na rua.

Na ocasião, mascarados, de cujo grupo participavas, entraram em confronto com policiais militares, momento em que foste atingido pelo golpe e ficaste caído no chão. O agente saiu correndo e recebeste os primeiros socorros de outros manifestantes.

Alerto, contudo Mateus, que a minha solidariedade a ti e meu repúdio a agressão da polícia que atropelou a ti e a teu grupo não implica em apoio aos equívocos táticos e estratégicos de teu segmento político.

Vocês foram desleais com os trabalhadores ao invadirem com trio elétrico as manifestações desde a Assembleia Legislativa, tentando tumultuar a marcha de milhares de pessoas, ao ponto de vocês atropelarem a multidão na Praça das Bandeiras, enfiando o caminhão de som sobre o povo, gritando palavras de ordem contra as lideranças, numa clara intenção de dividir e de desviar o público para seguir o grupo de vocês, um punhado de pessoas que, entre outras sandices, tocou banda musical para tumultuar as manifestações, os discursos das lideranças que há tempo trabalharam pela unidade no enfrentamento do golpe que se abate sobre os trabalhadores. Eu estava sobre o trio de onde discursamos e participei do constrangimento das lideranças dos movimentos sociais com a agressão de vocês. 

O resultado é que vocês se isolaram da multidão e, no fim das manifestações, vocês passaram a provocar os policiais e a apedrejar bancos e lojas no centro da cidade, assumindo símbolos black blocs.

Pena, as táticas erradas de vocês, fruto da doutrina política que seguem, os isola do povo e expõe a luta ao desastre.

As atitudes erradas de vocês são ótimas auxiliares da direita e do fascismo que atuam em todo o País.

Quem, em vão, imagina substituir o povo, mesmo com suas contradições, desprezando a árdua construção da unidade, se entregando a aventuras infantis, ameaça o próprio povo que diz amar e ainda se afunda na violência da burguesia que delira combater.

És estudante de uma das melhores ciências, as sociais humanas. Estudas numa universidade federal sustentada pelo povo. Tua responsabilidade para com este povo é enorme, mas a trais pelos caminhos do esquerdismo infantil, como já alertava o grande Vladimir Ilitch Leninlich Lênin (1870 – 1924).

Portanto, reitero minha mais profunda solidariedade a ti e à tua família pelo mal que a violência policial te causou. Repudio essa brutalidade, a mesma que violenta jovens pobres, negros e brancos, nas periferias, mesmo que eles não provoquem os agentes policiais. São alvos dos preconceitos racistas das forças policialescas que criminalizam os pobres e os diferentes.

Esse repúdio inclui a proposta de que tua família busque justiça na punição do agente policial criminoso, que usou a força do Estado para tentar te matar. A justiça tem que incluir o seu comando, que vai do comandante estadual da polícia ao governador, em última instância responsável pelos atos da polícia. 

Clique aqui para acessar e se inscrever no Canal CRP no You Tube.  E aqui para curtir nossa página no Facebook.  Também acesse essa página para conhecer nossos serviços e para colaborar.

  • Abraços críticos e fraternos na luta pela justiça e pela paz sociais.
  • Dom Orvandil, OSF: bispo cabano, farrapo e republicano, presidente da Ibrapaz, bispo da  Diocese Anglicana Centro Oeste e professor universitário, trabalhando duro sem explorar ninguém.
Compartilhar:



3 Comentários

  1. […] Fonte: Repúdio à violência policial e solidariedade crítica a estudante agredido – CartaS e Reflexõe… […]

  2. Sinto que as vezes me faltam palavras para expressar a tristeza que sinto ao ler noticias de violências como esta causada pela polícia.Polícia esta,que deveria proteger e guardar a segurança do povo que lhes paga o salário.Há alguns dias,mêses atrás,meu estado do ES,presenciou o que de pior e desumano os olhos do povo capixaba poderia ter presenciado.A greve da Polícia Militar do Estado.Nesta greve muitas mortes aconteceram,entre elas a morte do meu sobrinho,ainda muito menino muito jovem,apenas 28 anos.Estava no lugar errado ou com pessoas erradas.No entanto vimos a sociedade totalmente dividida entre a solidadriedade e o sentimento de raiva contida pelas babaríes e falta de respeito,abuso de autoridade por uma polícia que siquer respeita o cidadão.Durante a greve as mulheres deste polícias foram usadas para formar piquetes nos portões dos quarteis pelo estado.Como mulher, e não perdendo jamais perdendo meu senso de justiça, me via sensibilizada com as mulheres deste policiais,porém muito conciente do quanto esta polícia despreparada usava as suas companheiras de maneira sórdida diante da mídia.Mulheres que quando eram entrevistadas pela mídia não sabiam dizer o que faziam e por que..A todo momento soava ameças que partiam de dentro dos quarteis que suas famílias eram intocáveis.No entanto vemos que de lá pra cá nada mudou.Não se pode agredir ninguém,mas a polícia pode bater,atirar balas de borracha,gás,e até matar ...professoras,estudantes,trabalhadores e mulheres que lutam por direitos de todos,inclusive os deles e de suas famílias.Até quando a polícia continuará sendo desumana e desrrespeitosa com o cidadão que paga seus salários?e finalizando fica a seguinte pergunta:aA POLÍCIA MERECE UMA MELHOR SALÁRIO?

  3. Só a união do povo derrubará ditadores fascistas inimigos do Brasil, força Mateus que Deus te ajude, que tua família não deixe passar em branco esta brutalidade contra a vida, as agressões de que tem que zelar pelo povo devem ser punidas exemplarmente, fora temer e sua quadrilha...

Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.
Os comentários expressam a opinião de seus autores e por ela são responsáveis e não a do Cartas Proféticas.