mst-e-o-estado-brasileiro-vfinal-1-638

Sem Terra ocupam Fazenda do Estado para denunciar privatização de terras públicas

Frente máquina de moer vidas desencadeada pelo golpe neoliberal de ações fascistas, há entidades, instituições, comunidades, grupos e pessoas que inspiram coragem e ousadia na luta pelo patrimônio público.

Este é o caso do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, ao ocupar,  na manhã desta segunda-feira (21), com cerca de 60 famílias parte da “Fazenda do Estado”, ” pertencente ao Polo Regional do Vale do Paraíba da Agência Paulista de Tecnologia do Agronegócio (APTA), no município de Pindamonhangaba. A fazenda possui 350 hectares de terras improdutivas que estão autorizadas para privatização pela Lei 16.338, decretada pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), em 14 de dezembro de 2016.”

Alckmin é notório privatizador,  corrupto e apoiador do golpe que colocou Michel Temer no governo e denunciado por delações abafadas pelo judiciário. A ocupação se reveste de tremendo exemplo de luta por justiça social e por impedir que os entreguistas deixem nosso povo à míngua enquanto entregam o patrimônio público para negócios e enriquecimentos de empresas privadas.

“Com a ocupação, o MST denuncia a tentativa de privatização, parcelamento e destinação das terras públicas estaduais para outros fins que não sejam do interesse social e exige que os imóveis sejam destinados ao assentamento das famílias Sem Terra”, completa o texto do MST.

Leia toda essa matéria no site do MST, aqui.

Compartilhar:



Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.
Os comentários expressam a opinião de seus autores e por ela são responsáveis e não a do Cartas Proféticas.