O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, participa da cerimônia de entrega do Selo Nacional de Responsabilidade Social pelo Trabalho_ Resgata.

Sérgio Moro, delinquente, marginal, bandido e traidor da pátria rompe os próprios padrões para ajudar a dar golpes contra o Brasil

Sérgio Moro, delinqüente, marginal, bandido e traidor da pátria rompe os próprios padrões para ajudar a dar golpes contra o Brasil

The Intercept apenas cumpre pequeno papel na produção de provas positivas, que ajudam a desmobilizar os inimigos mais ferozes do Brasil e a enrubescer  quem tem um mínimo de vergonha patriótica nas forças armadas, no parlamento e no judiciário

Todos nós, os que lidamos com a pesquisa e a militância políticas,  percebíamos os sintomas de golpes desde 2006, flagramos esse meliante afrontando a república brasileira nas armações com as corporações internacionais.

Filho e membro de família de direita, nascida nos esgotos fascistas em forma de ditadura imperialista militar, o marginal e subversivo Sérgio Moro se prestou como infiltrado no judiciário para pavimentar o golpe que queimou a pálida democracia,  derrubando Dilma e elegendo a gangue comandada pelo miliciano suspeito de assassinar  Anderson e Marielle, o morador da casa 58 do Condomínio Vivendas, o tal de miliciano “seo Jair”.

Tudo o que fez no juizado da 13ª Vara da Justiça Federal da republiqueta cloacal de Curitiba foi acumulação de crimes com teor hediondo contra a Pátria, de alta intensidade de traição ao povo brasileiro, ajudando a roubar as eleições de 2018 para eleger o mentiroso mor, marginal, delinqüente, miliciano e fascista Jair  Bolsonaro.

Um dos traços do mau caráter de desqualificados como o marreco de Maringá é a mentira como método de comunicação e de ação.

O marido da dondoca direitona, dona Rosângela Wolff Moro, que vive com medo e sensação de prisão – é bom eles já irem se acostumando – afirmou que a violação dos autos por ocasião da divulgação de trechos de depoimentos e de escutas telefônicas era padrão do antro lava jato.

Este padrão, no entanto, nunca existiu. Os procuradores, sempre se sentiram constrangidos, embora covardes e cúmplices do criminoso, quem sabe até ameaçados,  com a parcialidade do bufão Moro, traidor da pátria e destruidor da base produtiva e econômica do Brasil.

Sérgio Moro, sempre desonesto, desonrado e perverso, agiu para golpear e chegar ao governo, onde agora não passa de um cão de madame miliciana, até porque já cumpriu a maior parte da sujeira a que se dispunha realizar, sabe-se lá à base de quantos milhões de dólares dados pelas corporações, pela CIA, considerados esmolas para os macros ladrões internacionais.

O fato é que Sérgio Moro é um dos maiores pulhas, ladrões, criminosos e, pior de tudo, traidor da Pátria.

Muitos países têm leis fortemente enraízas na ética de lealdade patriótica, não deixando brecha aos traidores e às traições.

As punições não leves. Traidores da pátria não tratados com penteados de macacos.

Comprovada a culpa são justiçados por fuzilamento ou enforcamento.

Nada de pieguismo  com quem rouba seu povo, detona seu pais, pisa na democracia, prende inocentes, achincalha a ciência e a tecnologia nacionais, desemprega milhões de mãos de obras altamente qualificadas, avilta a soberania entregando-a a marginais tão vagabundos quanto Jair Bolsonaro, como Donald Trump e seus negócios dilapidadores dos povos.

Por enquanto nosso código penal não permite esse nível de aperfeiçoamento da punição dos traidores engravatados da pátria. Nem deve. Essa pena seria aplicada contra os pobres como desculpa para livrar os lombos do tipo de pilantra como o corrupto casal Moro.

Mas em dado momento da história a justiça se aperfeiçoará e vida gritará denunciando que bandidos, assassinos, ladrões e traidores são seus inimigos porque a ameaçam. Por não são bem vindos na existência.

Por hora o que nos cabe é nos mobilizarmos para varrrermos do cenário nacional todos os bandidos que apodrecem a república.

Glenn Greenwald

✔@ggreenwald

Replying to @ggreenwald

A divulgação de Moro das gravações de Lula foi um dos atos mais impactantes na democracia brasileira nesta década. Foi um fator enorme que causou o impeachment de Dilma.

Moro mentiu sobre a justificativa. Até os promotores do MPF estavam preocupados por não poderem defendê-lo.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, participa da cerimônia de entrega do Selo Nacional de Responsabilidade Social pelo Trabalho_ Resgata.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.