acampamento LulaLivre_ataque a tiros

Tiros contra acampamento atingem a democracia

Gleisi Hoffmann*

Mais um atentado contra apoiadores do ex-presidente Lula, desta vez com duas pessoas atingidas, uma por tiro de pistola e outra por estilhaços, ocorreu na madrugada de sábado (28) no acampamento Marisa Letícia, em Curitiba. Eu me pergunto: é normal que isso aconteça num país que se pretende uma democracia? Claro que não, mas estamos vivendo uma escalada de violência política que exige resposta de todos que não querem regredir à barbárie.

O tiro que atingiu o companheiro Jefferson e os estilhaços que feriram a Márcia foram disparados pelo ódio que envenena o país cada vez mais, e quem vem sendo manipulado contra o PT, contra Lula, contra os movimentos sociais. Ódio que foi estimulado pela Rede Globo, durante a campanha contra a presidenta Dilma Rousseff, que começou com ofensas baixas, passou às agressões físicas e agora dispara tiros contra manifestantes pacíficos.

Acabo de voltar do Chile, onde participei como convidada da reunião da Aliança Progressista, que reúne os principais partidos de centro-esquerda do mundo. Denunciei os retrocessos que atingem a democracia no Brasil, como a prisão arbitrária do ex-presidente Lula, o assassinato de Marielle e Anderson, os atentados contra a caravana de Lula e o ataque ao acampamento.

Fatos como estes, que são relativizados ou até ignorados na pauta da imprensa brasileira, estão alcançando grande repercussão internacional. Nosso Brasil, que até recentemente era respeitado como um país que promovia direitos, começa a ser visto como uma terra sem lei, com um governo ilegítimo, instituições esfaceladas e, agora, com a violência política praticada impunemente.

É necessária uma firme reação da sociedade, dos partidos políticos, dos movimentos sociais, de todas as forças democráticas para barrar esse movimento. Que ninguém se iluda: embora o alvo da violência seja hoje o campo que defende Lula, ela se volta realmente contra a existência do estado democrático.

*Gleisi Hoffmann é senadora (PT-PR) e presidenta nacional do PT.

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com * são obrigatórios *