fl_testemunhonept-card

Fé e Luta com a AS e Teóloga Michelle Amanda Motta: “Testemunho no Núcleo de Evangélicos/as do PT”

Neste tempo bicudo, caótico e de trevas vê-se que cristãs e cristãos se dividem. Uma linha expressiva percorre os caminhos do farisaísmo, hoje muito categorizado como fundamentalismo, irmão siamês do fascismo.

Nesta linha, as pessoas não se percebem enquanto seres humanos rebaixados à condição de gado, completamente desvestidos de racionalidade e até de humanidade, valores caros ao movimento primitivo de Jesus.

Tropeadas, essas pessoas “louvam” em grandes alaridos em seus templos ou botequins alugados nos centros  e periferias das cidades e, ao mesmo tempo, somam-se à base necrófila de apoio ao fascismo, ao crime e ao genocídio, representados por Jair Bolsonaro e seu governo subserviente aos macros interesses do capitalismo imperial, que nos tempos de Jesus seria o império romano.

Outras pessoas tentam se afirmar puristas e neutras, alegando não se interessarem por política, esse âmbito definido como privilegiado por Satanás e pelo mal. Também irracionais, superficiais e confusas em suas “leituras” literais dos textos bíblicos, não se avaliam como integrantes da boiada e como buchas de canhão do neoliberalismo e do fascismo.

Numa ou noutra cruzada, cristãs e cristãos flutuam descomprometid@s com sua pátria, com o seu povo e por não perceberem a devastação fruto da guerra contra o Brasil, no roubo de nossas riquezas naturais e na anemia de nossa resistência.

Puristas e fariseus são linhas auxiliares, deliberadamente usadas e abusadas pela opressão econômica e política nacional e internacionalmente. Limitam-se apenas a votar e a orar, sem militância e sem luta na defesa libertária de seu povo e de seu país.

Segmentos dessas duas correntes são apocalípticas. Completamente irresponsáveis historicamente com os projetos e direitos sociais, aguardam inocente e aeticamente o arrebatamento para os céus. Quanto mais pobreza, miséria, agressões, guerras e ameaças ambientais tanto mais identificam nisso tudo sinais da segunda vinda de Jesus, como dizem nas suas igrejas, rádios, literaturas e TVs.

Contudo, há outras correntes que mobilizam cristãs e cristãos. As pessoas menos envolvidas na luta, no entanto, se contentam e se bastam nas campanhas eleitorais e eleições do campo de esquerda. Um pouco mais à frente nesta mesma perspectiva, há as pessoas crentes que participam de atividades partidárias, contribuindo com a elaboração de teses para as plataformas de candidaturas ao parlamento e às majoritárias nos governos.

Há outras que se organizam em correntes, na busca de aprofundamento quanto à compreensão da conjuntura, bastante complexa aos olhos nus e da crise estrutural do capitalismo, e procuram influenciar nos debates, escolhas de pessoas e teses em seus partidos, identificando-se, inclusive, como evangélicas ou católicas.

Destaque-se que no Brasil e na América Latina a história recolhe o testemunho de cristãs e de cristãos que se engajaram inteiramente na luta revolucionária, integrando partidos de linha marxista e organização lenilista ou trotskista.

Nesta visão revolucionária as pessoas não se contentam com os limites apertados e periclitantes do inclusivismo socialdemocrata, nacionalista, neoliberal e capitalista. Sua postura exige ruptura definitiva com o modelo de opressão, desumanização, injustiça e devastação ecológica pressupostas por todos os ramais capitalistas.

A energia da fé que se expressa na luta contra a dominação burguesa é canalizada para a revolução contraditória ao massacre e à barbárie capitalista, heranças do colonialismo e da escravatura.

O cristianismo, nessa efervescência, vê no Jesus palestino e galileu o revolucionário por excelência. Por isso, foi assassinado na mesma cruz usada como suplício e eliminação dos revolucionários antes e depois dele.

Cristãs e cristãos que trilham o caminho da luta não se contentam com espiritualidade morna na adoração de um Deus sentado num trono eterno, recebendo louvores de alguns corais e cantores dedicados, sem se perturbar com a tragédia e a desgraça da exploração imposta pela classe dominante em seus inúmeros polos de destruição.

Quem crê lutando abraça-se ao Jesus dos/as discípulos/as   trabalhadores/as e profeta que denunciou o sistema representado por César  e praticado por Pilatos, Herodes e pelo culto herético e hipócrita do templo em Jerusalém.

Neste SÁBADO, 04/12/21, ÀS 11 HORAS, no PROGRAMA FÉ E LUTA, conversaremos com a Assistente Social e Teóloga Michelle Amanda Motta sobre o testemunho de sua corrente NÚCLEO DE EVANGÉLICOS/AS DO PT.

Michelle Amanda Motta, feminista, assistente social (ProUni), pós graduada em Filosofia política, IFIBE, mestra em Serviço Social, UFSC, Teóloga e coordenadora do eixo de comunicação do NEPT Brasil coordenadora do NEPT/Florianópolis/SC ( Núcleo de Evangélicas/os do PT).

PROGRAMAÇÃO DO CANAL E DO SITE CARTAS PROFÉTICAS

– Chimarrão Profético: todas as terças e quintas feiras, às 11 horas;

– Leitura Profética: todas as quarta feiras, às 11 horas;

– Fé e  Luta: todos os sábados, às 11 horas;

– Mergulho nas Notícias: todas as segundas feiras, às 10 horas;

– Arte e Vida: todas as sextas feiras, às 19 horas;

– Reflexão do Evangelho: todos os domingos (programa gravado);

– Vigília e Resistência na Pandemia;

– Impactos das Notícias: notícias analisadas a qualquer momento (ao vivo).

Apoie este projeto com sua doação  pelo  Pix domorvandil@gmail.com.

Acesse e leia mais. Compartilhe:

Inscreva-se, ative o sininho, comente, dê likes, compartilhe e apoie sempre!

Deixe um Comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.